Rui-2

Acarditas! Ou não acarditas outra vez?

por 15 de Março de 2018À saída do estádio, Os textos do Damas0 Comentários

Confunde-me sempre saber o que pensar do nosso jogo, a meio do mesmo. Posso nem sequer estar a ver grande exibição ou se apenas se joga para o objetivo. Estar empatado aos 80 min ora significa o “ninguém se mexe” ora significa “vamos dar tudo… estamos a dar tudo para vencer”. Resta saber se somos esperançosamente cépticos ou cepticamente esperançosos.



Ainda nem o jogo acabou e já sabemos que o Bryan não acerta uma. Que falha nos momentos chave. Desafio toda a gente a ver a grande defesa do guardião da equipa checa num slow motion replay. A culpa não pode ser só nossa! O futebol é isto mesmo. Mas depois vemos o Bataglia a defesa direito. Meu Deus! Este Jesus só inventa! E mesmo que aposte no Piccini vamos logo ver que abusou do rapaz.
“- Por isso é que está todo roto no campeonato!”

O problema tem de ser algum, sempre! Chegamos a uma fase da Liga Europa na qual só se vislumbram equipas de Champions. Dos 8 sobreviventes apenas Salzburgo lidera a sua atual maior competição interna. Segue-se o Sporting com mais possibilidades de conquista do campeonato nacional, ainda assim longínquo para muito boa gente. Será melhor um adversário que luta por tudo ou alguém que não tenha de gerir a 100 por cento o atual plantel? Estaremos meio vivos para tudo ou meio mortos para nada?

Certo é que a Liga Europa apenas dá prestigio a quem a ganha. Chegares à final e perder é bem pior do que acabares nos quartos ou nos oitavos e ficares de fora na mesma. Como sportinguista queres ficar por aqui ou arriscar mais e poderes lixar-te na mesma? O problema tem sido mesmo este. Desacreditar antes de acabar.

Sei que o manto é demasiado curto para tapar a face e os pés na altura de aquecer. Aí, é um trabalho de planeamento de época porque ninguém quer saber se há tempo para treinar ou não. Para o ano queremos este mesmo problema, só que planeado. Se os jogadores fazem por não correr ou não têm estofo para mais cabe ao staff saber se ou se estica para cima, ou para baixo, ou se o manto dá para tapar tudo ao mesmo tempo.

O meu trabalho é ser adepto do Sporting. Não porque quando comecei a ver futebol apenas queria apoiar um campeão. Naquela altura… um pontapé de bicicleta de Juskowiak ao Boavista fez-me ver o que era o brilho do futebol. Perdão, do Sporting Clube de Portugal!