131286_galeria_.jpg

Mais desafios, mais Sporting!

por 13 de Janeiro de 2018Os textos do Damas0 Comentários

Lançada agora a segunda volta do campeonato o calendário vai apertar e, embora o nosso mais direto rival também tenha pouca margem para folgas, difere o facto de ter a eliminatória da Champions intercalada por três semanas enquanto que o nosso adversário na Liga Europa nos irá surgir por 2 vezes separado por apenas uma. Contudo, o que é que vai apertar mais?

Não podemos dissociar o clube de Carnide da equação pois agora que o treinador foi posto à prova do “diz que não disse” e “educadamente laborando por aqueles lados” o nível de hipocrisia levado a cabo nas suas palavras dá-nos mais um motivo para lhe mandar tartes à cara. O que é certo é que os vários confrontos marcados com o clube da fruta irão aquecer, existirão lances de discórdia em demasia e lá estarão os Guerras, os Vieiras e os Gomes da Silva na primeira fila a comer pipocas desertos para gritar que as “comadres” se chatearam.

Apenas Carlos Queiroz (94/95) e Fernando Vaz (70/71) não terminaram no topo depois de uma primeira volta invicta, algo que já aconteceu por seis vezes na história do Sporting Clube de Portugal… agora sete. Ponhamos então em cima da mesa a carga de jogos que aí vem:

14/1 Aves (c)
19/1 Setúbal (f)
24/1 Porto (n) – Taça CTT com possível final a 27/1
31/1 Guimarães (c)
04/2 Estoril (f)
07/2 Porto (f) – 1ª mão da Taça de Portugal com esta nova data a aguardar confirmação por parte da Federação
11/2 Feirense (c)
15/2 Astana (f) – Liga Europa
18/2 Tondela (f)
22/2 Astana (c) – Liga Europa
25/2 Moreirense (c)
04/3 Porto (f)

18/4 Porto (c) – 2ª mão da Taça de Portugal

Caso cheguemos à final da Taça da Liga estamos perante 12 jogos em 43 dias. O desgaste físico irá deixar marcas pelo que será demasiado importante o papel dos reforços do mercado de Inverno. É imperativo manter uma intensidade forte nos 90 minutos de cada batalha e ver casos como um Acuña desaparecido na segunda parte ou um Coentrão descompensado por ninguém ter pernas para fazer a dobra no lado esquerdo da defesa não podem virar moda.

Os outros presidentes que continuem a partilhar azeitonas à mesa antes dos jogos, que se continue a noticiar o nascimento de um poço de petróleo em Alvalade, que se continuem a pedir desculpas pró boneco, que se conte que se respeitam treinadores mesmo depois de indicar que o homem das pipocas está à frente na fila de agradecimentos, não se fale do VAR, fale-se do VAR, contratem-se bruxos e apresentem-se vendas milionárias com notas do monopólio.

Até os nossos que se chateiam dentro de campo já nem dão miolo de conversa alheia fruto das campanhas internas da nossa comunicação social. O Bas Dost e o Ristovski afinal vão ver o Voleibol no pavilhão João Rocha amanhã, às 17h30. E tu?!