as

Posso contar-vos mais uma história?

por 1 de Junho de 2017Hoje é dia de Sporting0 Comentários

Liguei-lhe hoje por volta das 13 horas.

Eu – “Então, puto? Estás preparado? Nervoso?

Ele – ” Não, estou tranquilo.”

Eu – ” Estou a ligar-te só para te desejar boa sorte. Hoje é para fazer história. Hoje vale mais do que 10 Taças Challange.”

Ele – ” Eu sei que sim. Vamos para cima deles, meu puto!”

Eu – “Por favor, lembrem-se do símbolo que levam ao peito. Boa sorte! Bom jogo!”

Ele – ” Sempre! Obrigado.”

Hoje, vi e sofri pela televisão. Cantei em simultâneo com a turma das Redes que também estava lá, a cantar, a apoiar, a saltar e a bater palmas como todos aqueles que hoje fizeram de um pavilhão uma só curva.

O Sporting fez uma primeira parte avassaladora, demolidora, esmagadora e tudo e mais alguma coisa que acabe em “ora”. Este é o resumo dos primeiros 30 minutos. Ainda assim, estamos todos calejados e cientes de que no Sporting, a qualquer momento, de um qualquer jogo, de uma qualquer modalidade, a coisa pode descambar. Então no Andebol…

A verdade é que, desta vez, não descambou. E apesar da coisa ter ficado um pouco feia, o Sporting – à Sporting – conseguiu com muito esforço e dedicação voltar a sagrar-se campeão nacional.
E por isso, o orgulho é do tamanho do mundo. Todos tiveram um contributo importante e também por isso, enquanto sócio da maior potência desportiva nacional, vos digo: Obrigado! Isto é – e tem de ser – o Sporting!

Nesta despedida, as ideias perdem a clareza. Tudo porque quero ser capaz de deixar uma palavra para Matej Asanin e não sei o que escrever. Bem sei que não foi ele sozinho. Não foi. Mas com este “monstro” na baliza tudo ficou mais possível, mais fácil, mais capaz, mais forte, mais tudo. Asanin é uma espécie de Donnarumma. É talento genuíno, é classe, é confiança. É até alguém que dificilmente ficará muito mais tempo em Portugal.

Fiquei a ver os festejos. As câmaras filmavam a festa rija que se fazia no pavilhão, quando, de repente, mudam o plano e lá estava o “meu puto” a fazer de Samico e a conduzir-nos para um momento arrepiante.

“Laaaa la la la la laaaaa, Sporting allezzzzz”.

Outra vez, com calma. “Laaaa la la la la laaaaa, Sporting allez”.

À terceira, jogadores e adeptos protagonizaram um momento verdadeiramente maravilhoso… Um momento para mais tarde recordar.

Hoje deram-nos uma verdadeira injecção de esperança, um novo alento para um futuro ganhador em todas as modalidades e em todas as frentes. O Sporting nasceu para ser grande e essa tem de ser a nossa essência.  Tal como vocês tão bem fizeram rapazes do andebol.

E hoje, eu que tantas vezes já lhe disse que tenho um orgulho tremendo por ele ser meu amigo e jogador do meu clube do coração, assim que acabou o jogo mandei-lhe uma mensagem:

“Obrigado! Do fundo do coração, obrigado! Sporting sempre.”