MARIBOR,SLOVENIA - SEPTEMBER 17:  Andre Carrillo of Sporting Clube de Portugal in action during the UEFA Group G Champions League football match between NK Maribor and Sporting Lisbon at the Ljudski vrt Stadium on September 17, 2014 in Maribor, Slovenia. (Photo by Samuel Kubani/EuroFootball/Getty Images)

Pode ser, Carrillo?

por 22 de Julho de 2015Os textos do Damas0 Comentários

São, sem dúvida, palavras bonitas aquelas que Carrillo escreveu na conta pessoal do Instagram. Fosse porventura noutros tempos, bem longe do futebol mod€rno, e seriam motivo suficiente para deixar a nação leonina orgulhosa.
Mas, no presente, este jogo de palavras banalizou-se. Hoje troca-se o amor à camisola por dá cá aquela palha, representa-se um qualquer emblema em troco do tão almejado contrato de carr€ira, sem nunca dar sentido real à palavra gratidão. Podia, se quisesse, baralhar, partir e voltar a dar. Para isso bastava voltava a falar de Dier, Pedro Mendes, Bruma, Liedson, Montinho, Simão e etcetera e tal, no entanto, não vale a pena. Não são dignos disso.

Todos reconhecemos em Carrillo aquela ginga dos mais dotados, uns pés de ouro na arte de driblar, uma velocidade desconcertante e a virtuosidade dos grandes artistas. Mesmo que por vezes contraste com aquele jeito meio "brinca na areia" misturado com um ar de menino molengão, no fim as qualidades superam em larga escala os defeitos.

Neste novo Sporting, e orientado por Jorge Jesus, Carrillo pode facilmente tornar-se uma das principais figuras da primeira liga. O peruano é um daqueles jogadores que pode virar uma "máquina" futebolística se o novo treinador conseguir potencializá-lo ao máximo. "La culebra", juntamente com William, João Mário, Adrien e Montero, sob o comando de Jorge Jesus vão, e acredito piamente nisto, quebrar a barreira daquilo que distingue os bons jogadores, dos grandes jogadores; do quase que conseguimos, ao conseguimos; do quase vencemos, ao vencemos. E é enquadrado nesta mentalidade que se quer ganhadora, que o contributo do jogador para esta época ganha preponderância e especial dimensão. Será sem margens para dúvidas uma pedra basilar num futebol que se espera exuberante, sexy, sem pudores e com nota artística.

Contudo, estas declarações de amor pouco ou nada me dizem, até porque esta coisa de amar o Sporting tem muito que se lhe diga - no caso deste jogador são dois milhões de coisas por ano!
Em suma, isso é muito giro e tal, fica bem como manchete num jornal, mas agora assina lá o novo contrato e caga nas lamechices. Pode ser, Carrillo?