d

Saber perder é uma virtude

por 15 de Junho de 2015À saída do estádio0 Comentários

Depois de 4 jogos de playoff, e sem que houvesse necessidade de arrastar a decisão para um quinto jogo, ficou conhecido o novo campeão nacional de futsal.

Há que admitir que as coisas não nos correram bem esta época e que a equipa de Nuno Dias não esteve ao nível de épocas anteriores. Como prova disso mesmo, ficou o registo do terceiro lugar alcançado na fase regular. É certo que não estamos habituados a isto no Futsal, mas há que compreender que também tivemos saídas de jogadores muito influentes e que muita falta nos fizeram ao longo do campeonato.

Partimos para o playoff com a perfeita noção de que tínhamos uma tarefa complicada pela frente, pois tínhamos de vencer 3 jogos a uma equipa que ainda não tinha sentido o sabor da derrota até então. Depois de termos vencido o segundo jogo na Luz por 4-7, ficou a esperança de que ainda seria possível lutar pelo título de campeão, deixando essa possível decisão para os dois jogos que íamos ter em "nossa" casa.

Os erros e falhas cometidas pelos nossos jogadores nesses dois desafios foram gritantes e decisivos para entregarmos o título de campeão ao eterno rival. Nunca uma equipa que aspira ser campeã, se pode dar ao luxo de falhar como nós falhámos. Houve mérito do adversário? Claro que sim. Houve demérito da nossa parte? Muito. Esperemos que Nuno Dias e seus pupilos voltem a encontrar o caminho das vitórias e a consistência necessária para recuperar o que foi perdido já na próxima edição da prova.

O que não pode acontecer de todo nestes momentos, é perdermos o discernimento e a capacidade de aceitar a superioridade do adversário, atirando as culpas para terceiros que nada tiveram a ver com a nossa falta de argumentos. Ficou-nos mal toda aquela confusão no final da partida de ontem e nada combina com a postura que normalmente sabemos ter. Se afirmamos ser diferentes, não podemos ter a mesma atitude de outros, caso contrário, estaremos apenas a ser iguais. Não é esta a atitude com a qual me identifico e fiquei muito triste com a imagem que ontem passámos. Somos o Sporting Clube de Portugal, não somos nem nunca seremos arruaceiros.

Uma pequena nota final para Marcelinho, Cristiano e Alex: Obrigado por tudo! Esta não foi a melhor forma de dizer adeus, no entanto, não nos esquecemos dos campeonatos e das taças que vocês ajudaram o Clube a conquistar. O Sporting será sempre a vossa casa e vocês serão sempre parte da história verde e branca.