r

Não sou bruxo, mas…

por 19 de Junho de 2015Os textos do Damas0 Comentários

Ontem, segundo a imprensa, o presidente Bruno de Carvalho reuniu com os comentadores televisivos associados ao Clube e que analisam os acontecimentos do futebol português.

Naquilo que é denominado como uma acção institucional, sentaram-se à mesa, e ao lado do Presidente, figuras como Rogério Alves, Rui Oliveira e Costa, Carlos Severino e Fernando Mendes.

Pois bem, não sou bruxo. Como tal, não tenho a plena certeza do assunto, nem da troca de ideias que terá existido. Porém, calculo o teor desta conversa. O primeiro ponto terá sido um pedido: Defender os superiores interesses do Clube. O segundo: Não deixar que personagens como Rui Gomes da Silva, Rodolfo Reis, João Gobern, Manuel Serrão ou Pedro Guerra, debitem, constantemente, verborreia e entulho de forma a denegrir a imagem do Sporting, sem receber uma resposta que os faça engolir em seco.

Mas, e verdade seja dita, destes nomes, apenas um é capaz de defender o Sporting com grande transparência e clareza. Rogério Alves, não só pelo seu poder argumentativo bem como de dissuasão, deixa os seus homólogos a léguas da sua qualidade enquanto “opinion maker“. O ex-bastonário da Ordem dos Advogados, Rogério Alves, é um conhecedor profundo da realidade futebolista e, em particular, do nosso Clube, representado-o sempre com elevação e acerto. O seu nome, por arrogo da má gestão do Sporting nos últimos anos, foi associado à famosa lista dos notáveis, no entanto, avalio que injustamente. Ao contrário de todos os outros, sendo Rui Oliveira e Costa particularmente deprimente, julgo que estamos perante uma pessoa que defende a sua “dama” com elegância e altivez, sem paralelo no panorama televisivo nacional.

Quanto a Rogério Alves, acredito que pouco ou nada houve a dizer da parte do Presidente.

Quando aos outros, e individualmente, espero que Bruno de Carvalho tenha dito:

Eduardo Barroso: Tem de parar de falar dos seus filhos… E de vez em quando convém ver um jogo.

Fernando Mendes: Tens um coração enorme, Manel! Gigante! Mas com tantos cabelos brancos não podes ser tão ingénuo. O Rodolfo passa a vida a ridicularizar-te, a destilar ódio pelo Sporting, e tu não dás um murro na mesa?

Carlos Zeferino: De todos os presentes, é o que tem a tarefa mais complicada. Tente fazer o seu melhor. Mas nunca levarei a mal se espetar um banano naquele monte de coiso…

Rui Oliveira e Costa: Doutor, todos nós gostamos de beber um “cálice” de vez em quando, agora não podemos é ir bem regados, para um debate televisivo, dizer “Chapel”, “Vinicius” e “agora pimba e depois pumba”. Não é que não tenha imensa graça, porque, confesso, tem bastante. Ainda assim Doutor, não é preciso rebentar com uma garrafa de VAT69 antes de ir opinar em directo para a televisão.

Volto a dizer, não sou bruxo. Espero é que o Presidente tenha aproveitado para dizer este tipo de coisas, mas, em português arcaico, e com todos aqueles floreados que esta malta gosta de usar.

Nunca mais começa a época…