pedro-portela

Contigo, até morrer!

por 23 de Maio de 2015Mão Verde, Os textos do Damas0 Comentários

Chegou a hora. “The Final Countdown”, “We are the Champions” ou até “Vendedor de Frutas” (sim, Quim Barreiros também conta) podem bem ser bandas sonoras de um conto com final feliz. Será o desfecho desejado, tanto por mim como por tudo o que emana verde por este país fora.

Se anteriormente disse que apenas teríamos de ganhar “um” jogo no Dragão Caixa, o artigo indefinido passou para definido assim que cumprimos à risca a defesa da nossa muralha. “O” jogo na casa do inimigo serão apenas 60 minutos do culminar de uma época de altos e baixos. A hora rentável mais importante de toda a temporada decide-se já Sábado pelas 18h00. Para trás ficam apenas pequenos passos, não vale de nada se tropeçámos ou se cilindrámos os adversários, agora, não mais interessa as batalhas nas quais participámos. O tecto de hoje será o chão de amanhã.

A mensagem é só uma, os destinatários esses, são vários. Convém referenciá-los com a sua devida veemência:

Para o presidente: Disseste um dia que o Sporting haveria de novamente ser nosso e calcaste essa ideia quando te passaram a tocha do poder para a mão. Esse poder sempre foi de todos os sportinguistas e ter uma equipa sustentável não é nunca sinónimo de precariedade. Se o exemplo do andebol pode ser dado para as outras modalidades o sucesso não será mais do pacato esbanjador mas sim do ambicioso calculista.

Para o treinador: Se te desse um balde de tinta tu, Frederico Santos, construirias uma casa de raíz. Sonhamos com base no que temos e não o contrário. Assim como toda a equipa técnica, serás um dos supra-sumos responsáveis por esse tão aspirado título de andebol. Essa quinta essência peca por tardia não fosses tu teres escolhido o clube mais eclético do mundo para treinar.

Para os adeptos: Continuam a ser os melhores do mundo. Não interessa onde se joga, quando se joga e porque é que se joga! Se é para ganhar também é para apoiar. A toca do lobo mete medo do lado de fora, lá dentro não passa de um mero buraco.

Para os jogadores: Tapem o Gilberto! Aliás, tapem todos os Gilbertos! Não nos podemos apenas focar num jogador e deixar os outros fazerem o resto. Obriguem o Porto a fazer mais um passe! Se tiver de ir do lateral direito à ponta esquerda que seja. É mais um passe, é mais uma hipótese de erro, é mais um segundo para os nossos laterais na defesa fecharem o ângulo. Somos a equipa mais mortífera do mundo no contra-ataque e temos de fazer jus a esse rótulo. Descansar na defesa é a última coisa a fazer! O Quintana é bom guarda-redes mas não tem uma área maior do que o espaço da baliza. Não quero apenas bolas no ângulo porque todos os golos vão ser espetaculares… tenho a plena certeza disso!

Caso mais esta partida deixe indecisão até ao segundo final, deixemos o peso do símbolo ao peito tomar a decisão mais acertada, seja para evitar uma derrota, seja para salvaguardar uma vitória. O certo é que estas letras poderão ter menos ou mais sentido no Domingo de manhã! Independentemente de todo e qualquer desfecho que o jogo possa apresentar uma coisa é certa: #EuVouLáEstar!