slim

Problemas de Atitude

por 20 de Abril de 2015À saída do estádio, Os textos do Damas0 Comentários

Agora que chegámos às últimas 5 jornadas do campeonato, a contabilidade do terceiro lugar parece finalmente concluída. Com 10 pontos de vantagem do Braga, já ninguém poderá pensar na possibilidade de não garantirmos o play-off de acesso à liga dos campeões. Ontem, em Alvalade, e perante uma casa consideravelmente bem composta, entrámos praticamente a ganhar e, com esse golo madrugador (o mais rápido do campeonato até agora), adivinhava-se um jogo pacifico e propicio para terminar com um resultado volumoso. Mas o filme do jogo foi muito diferente daquilo que o primeiro minuto prometia. Mais uma vez, a equipa decidiu ligar o complicador e estragar aquilo que podia muito bem ter sido um passeio de domingo à tarde pelo parque. Infelizmente, é algo que vai acontecendo e que nos vai deixando com os nervos à flor da pele.

Era desnecessário sofrer tanto para levar de vencido um adversário tão fraco como aquele que tivemos pela frente...

Uma das coisas que mais confusão me fez durante o decorrer do campeonato e que não consigo de compreender nem aceitar, é a falta de atitude da equipa em vários jogos. Na minha opinião, foi um dos maiores factores a provocar o nosso afastamento precoce da luta pelo título. Todos sabemos que não terá sido o único, no entanto, não devemos deixar de considerar esse aspecto negativo e refletir profundamente sobre ele. Muitos jogos são desbloqueados e decididos através da incessante busca pela sorte, pois como em tudo na vida, também no futebol, há que fazer por atingir os melhores resultados e nunca adoptar uma postura passiva. Há que batalhar e não ficar à espera de ver o que as coisas dão.

A entrada de Slimani ao minuto 33, parece-me ter sido um dos aspectos mais decisivos na obtenção dos 3 pontos. O argelino, é um dos casos mais esclarecidos no que a entrega e dedicação diz respeito, e devia ser visto por todos os seus colegas como um exemplo a seguir, pois é portador da atitude que todos deveriam ter em campo. É essa a atitude que se exige a todos os jogadores que vestem o manto sagrado, pois é a única compatível com o peso da responsabilidade de defender as cores da maior potência desportiva nacional. Gostaria muito de não ter de voltar a escrever sobre este tópico, e fica desde já o meu desejo de não ver este filme repetir-se na final da taça do próximo dia 31 de Maio. Não tenham medo, joguem à bola, que a camisola, é para suar...