tans

Um Sporting forte

por 13 de Janeiro de 2015À saída do estádio, Os textos do Damas0 Comentários

Todos vocês se recordam dos tempos do Godinho.

Todos vocês se envergonham desse “sporting” que ficou na pior classificação de sempre. Que não chegou a ir à Europa. Que teve momentos de profundo surrealismo, vários treinadores por época, jogadores pagos a peso de ouro que nunca mostraram nada em campo. Vergonhas sem fim.

Durante esses momentos, os comentadores de bola dedicavam-se a analisar a “crise leonina”, em painéis que debatiam horas, e nos quais unanimemente afirmavam ser “necessário um Sporting forte para o futebol Português”.

Todos vocês, adeptos leoninos, concordaram com essas afirmações, mas alguns, como eu, desconfiaram da fonte. Seria o interesse desses pasquineiros, comentadores profissionais ou inclusivé, rivais, focado no que seria melhor para o Sporting? Ou verbo morto para esconder o real desejo, um Sporting fraco, e a satisfação que isso lhes ofereceria, além de um bolo repartido apenas por dois?

Pois bem, colocando os olhos nos analistas, que são basicamente os mesmos, temos por aí programas de análise à "crise leonina", embora um mundo separe o Sporting dos croquettes do dos dias de hoje.
Vejo por aí tanta crítica comentarista ao presidente que pegou no clube e o elevou dessas vergonhas, restituindo-lhe alguma da sua grandeza, da sua dignidade, colocando-o entre os grandes nacionais e europeus... Efectivamente, a Bruno de Carvalho só lhe falta entrar em campo para marcar os golos, tal é a vontade em levar o Sporting para o patamar que este merece. Contrastando com ex-presidentes incompetentes que nos seus dias não mereceram nunca tanta crítica atenta dos rivais..., perdão, jornalistas.

Eles todos se descaem quando aparecem com a azia que lhes observamos nas faces nos programas televisivos de ontem e nos textos dos pasquins de hoje.

Sim, o golo de Tanaka teve esse condão.

Para além de ser o prémio justíssimo para o esforço colocado no relvado pelos atletas leoninos (que a nós ninguém nos dá colinhos para desatar jogos complicados), o de revelar o incómodo "deles" , obrigados ao recolher de facas e textos que já estavam escritos acerca da incapacidade do Sporting em averbar 3 pontos.

E de um dilatar de margem para um líder no campeonato que ainda não ganhou a este Braga, não coloca em campo metade da qualidade deste Sporting "em crise", é constantemente trasnsportado como se um andor se tratasse, perante o branqueamento jornalístico que gosta de afirmar que os grandes são beneficiados, equiparando os que são um décimo das vezes de outro.

Portanto, esse líder não merece seguir à frente do Sporting Clube de Portugal no campeonato, como aliás, se pode constatar em todas as outras competições.