andebol

Tal como no Futebol…

por 9 de Janeiro de 2015Mão Verde0 Comentários

Antes de mais, Bom Ano para todos os tasqueiros. Que este ano vos traga tudo aquilo que mais precisam e sobretudo que o verde e branco faça parte dos bons momentos neste 2015.

Depois da amarga derrota na final da Supertaça, foi tempo de pausa no campeonato e dar lugar à Selecção Nacional. Primeiro, três jogos de carácter particular, como que a servir de pré-estágio para o segundo: o Torneio Internacional do Qatar. Mas, para lá da importância dos resultados, neste momento, prefiro destacar a forte presença leonina na selecção das quinas.

Muito à imagem do que acontece no futebol, os atletas do Sporting Clube de Portugal estiveram em maioria na convocatória da selecção lusa. Foram seis os atletas do Sporting que foram chamados pelo selecionador Rolando Freitas: Os pontas Pedro Solha e Pedro Portela, Fábio Magalhães, Bosko, Rui Silva e o capitão Bruno Moreira.

Tal como no futebol, onde muito se tem especulado quanto à formação, quanto ao real valor do jogador leonino, quanto a real capacidade desta equipa em se afirmar como o principal candidato ao título, o Andebol serve também como resposta a todos estes pontos de interrogação.

Hoje, pode parecer – e até ser verdade – que ainda não atingimos maturidade suficiente para retomar a hegemonia que tivemos em tempos, no entanto existe qualidade e talento, juventude e sede de vencer, para que num futuro próximo o clube de Alvalade volte a ser o Rei do andebol português.

Tal como no futebol, no qual olhamos para Adrien, William, João Mário, Mané, entre outros e percebemos que estes jogadores fazem-nos tomar como real a expressão: “O caminho faz-se caminhando”, também no andebol podemos olhar para Rui Silva, Pedro Portela, Fábio Magalhães, Bruno Moreira, como jovens que dão certezas e garantias de que, em breve, o Sporting voltará a ser o número 1 do andebol.

Tal como no futebol, é preciso tempo e paciência. É preciso incentivar e acarinhar. É preciso perceber que o talento está todo lá e que, mais tarde ou mais cedo, vamos colher o que já foi semeado. Até lá, vamos apoiar e gritar em todos os pavilhões onde o símbolo do leão rampante esteja presente. Entretanto teremos um forte, um casa, que nos vai ajudar a transformar estes meros sonhos em realidade.

Como diz o meu amigo Bernardes Dinis: “O Sporting é um clube que nunca está em crise, porque todos os anos somos campeões em alguma modalidade. Somos a maior potência desportiva nacional”.