ng1089287

Um poema do Carvalho

por 26 de Dezembro de 2014Os textos do Damas0 Comentários

Até na altura do Natal

Chateados pelo Blackout

O que fazem para vender jornal?

Metem o Marco, o Bruno e um knockout.

 

Pode ser para desviar a atenção

Ou até acrescentar ordenados

Talvez para que os gajos da corrupção

Possam dormir mais descansados.

 

Uma guerra, tiros e bombas

Tudo na mesma novela

Afinal quem levou nas trombas

Foram os gajos da aguarela.

 

As suas fontes são às centenas

Os seus palpites sempre acertados

Só lá vamos com poemas

Para ficarem seus calos apertados.

 

E como os sócios não são bonecos

Já falou Bruno de Carvalho

Jornais, jornalinhos e jornalecos

Ide todos com o caralho!