17510688_ePTZA

O texto da Inês…

por 16 de Dezembro de 2014Os textos do Damas0 Comentários

De tempos a tempos temos que assistir a adversários pretenderem redefinir o conceito de “grande" para excluírem o Sporting do grupo.
Normalmente são benfiquistas, que, como todos sabemos, têm a mania das grandezas, necessitando de correctivos de tempos a tempos como o 7-1 ou o 5-3, ou golos para lá dos 90 minutos que custam campeonatos, para os trazer de volta à terra.

Agora, circula por aí um texto de uma tal Inês, portista, que assegura que o Sporting já não é grande.

Eu tenho pena.

Porque se a Inês tiver razão, um clube que já não é grande deu um grande banho de bola em pleno estádio do Dragão ao FC Porto. E sem falar na goleada que foi dada nas bancadas por 3 mil sportinguistas a trinta e tal mil portistas...

E não confundamos com o 2-0 a jogar à Moreirense ali do vizinho da segunda circular no fim de semana passado, com golos de arremessos laterais que, num país civilizado já tinham sido mandados repetir.

Mas sim num jogão que fez todo o portista ficar a espumar-se de raiva e, suspeito, terá inspirado a tal Inês a escrever aquelas linhas carregadas de ódio puro, passando por cima de décadas de vencer jogos e campeonatos à custa de corrupção dos árbitros, bem documentada, admitida pelo clube para salvar a pele do presidente que continua por lá, mas nunca devidamente punida com a correspondente descida de divisão.

Falaríamos aí em grandezas...