16726155_4QwqM

Erros? Os tomates.

por 22 de Dezembro de 2014Os textos do Damas0 Comentários

Pretender comparar ou legitimar os sucessivos erros(*) de arbitragem que vêm beneficiando sistematicamente o Benfica com o erro de arbitragem que deu penalty contra o Vizela, só por lapso, cegueira ou descaramento. Ou como era antes disso, com os dois toques do William.

Uma coisa é ter os bandeirinhas como melhores defesas da equipa e o árbitro como o criativo em campo que é o que se observa em relação ao Benfica, jornada após jornada, sem jogar nada que se veja que justifique seguirem em primeiro na liga ou futebol que mereçam virem a ser o Campeão Português, e ainda assim assobiar para o lado,

outra bem diferente é um erro reconhecido e repudiado por todos os sportinguistas, que deu o primeiro golo num desafio para a Taça de Portugal que, como é óbvio, nunca poderia ter terminado empatado 2-2.

Dir-se-ia que o Vizela-Sporting ia para prolongamento e então, esgotados os jogadores do Vizela como já estavam, seria mais realista dizer que a vitória sorriria, em princípio, ao Sporting.

Ainda assim, preferia que a sorte do jogo não tivesse sido influenciada pelo apitador de serviço, mesmo que resultasse em derrota leonina, no prolongamento ou nos penaltys... Preferia.

Seja como for, pretender que um erro isolado a favor do Sporting desculpe uma passeata no campeonato que roça o ridículo por parte do Benfica é, como eu disse ali em cima, ser distraído, cego, ou descarado.

*no caso do Benfica não são erros. São decisões voluntárias. Não é possível errar sempre, sem excepção, para o mesmo lado, jogo após jogo. Já se passou aqui as fronteiras do acaso ou azar. É colinho. É compadrio. É corrupção. Dessa que costumavam criticar nos novos amigos lá de cima.

Tenho muita pena de observar benfiquistas a compactuarem com isto.

Mas sinto-me ofendido quando pretendem que eu coma a mentira. Não somos todos parvos.