pinto da costa e luís filipe vieira

Vende-se: títulos de campeão e vice-campeão

por 23 de Novembro de 2014Os textos do Damas0 Comentários

Depois da novela que foram as eleições para a presidência da Liga de Clubes, na qual Luís Duque vestiu a pele de personagem principal em mais um episódio da podridão que é o nosso futebol, eis que surgem novos capítulos da saga com fresquíssimas e chocantes novidades. Foi capa no jornal “A Bola” esta semana, a grande mudança no futebol português protagonizada pela dupla do momento, Pinto da Costa e Luís Filipe Vieira, que agora deram em ser o Mahatma Gandhi e a Madre Teresa de Calcutá das finanças do desporto rei nacional.

Ao que tudo indica, vermelhos e azuis irão financiar o campeonato que disputam, na tentativa angelical de salvar o futuro da competição. E não pude deixar de me rir com dois termos presentes nesta noticia: mudança e salvação. Qual será a grande mudança a que eles se referem? O que é que será salvo aqui, exactamente? A meu ver, a única coisa que mudou foi o facto desta aliança se ter tornado publica. Finalmente, atribuíram nomes aos bois e disfarçou-se mais um episódio vergonhoso, pintando-o de forma a parecer um enorme gesto de caridade, quando na verdade, apenas se trata de um aumentar de poder. Fácil. A Liga de Clubes está em liquidação total e o trio Costa, Vieira e Duque, começa a mostrar trabalho.

Os dois grandes rivais do Sporting vão ser, muito brevemente, os donos do campeonato nacional de futebol, com todas as vantagens e benefícios que essa situação lhes irá certamente trazer: campeonatos e segundos lugares ao desbarato, distribuídos por azuis e vermelhos, numa harmoniosa relação de amor onde “agora fico eu por cima e tu por baixo, e para a próxima época trocamos de posições.” Parece-me que é isto que se vai passar, muito sinceramente. Para quê continuar a gastar dinheiro e fruta a comprar resultados e árbitros à unidade, quando podem comprar o pack inteiro, mandar nesta merda toda, e garantir de forma fácil os dois lugares mais lucrativos da tabela classificativa?

Esta, é a ultimate weapon usada pela corrupção contra a verdade desportiva (se é que ainda havia alguma) no nosso futebol, o último grito tecnológico na forma de saber roubar e adulterar competições. Estamos surpreendidos? Claro que não. Vale tudo nesta luta por vencer, e para alguns, não importa a forma como se atingem os objectivos. É por isto também que tenho orgulho em ser sportinguista.