imgS620I146294T20141118111905

Os gajos que resolveram!

por 19 de Novembro de 2014A nossa Selecção, Os textos do Damas0 Comentários

Era a feijões, já se sabia. Um Portugal-Argentina em Old Trafford para inglês ver só mesmo para alimentar o cliché causa/efeito de Ronaldo vs Messi a dissipar quaisquer dúvidas sobre quem deverá ganhar a próxima Bola de Ouro. Só mesmo, repito, porque essas dúvidas continuam a existir e o português lá teria de passar este teste para provar ao mundo mais uma vez que é o melhor, mesmo depois de o já ter demonstrado inúmeras vezes no ano que está a acabar.

Um ou outro rasgo de CR7, mais uns tantos de Messi, e o jogo despediu-se dos 2 jogadores mais valiosos do mundo para apreciar outras oportunidades ainda a meio da partida. Aqui é quando podemos ver onde mais se situam eventuais lacunas na Seleção Lusa com um meio campo mais em esforço do que com técnica e razão. Às muitas perdas de bola o “arcaboice” alviceleste começava a desgastar Moutinho, Tiago e André Gomes. Continuo a engelhar um bocado o olho a este último e nada tem a ver por onde passou mas há lances em que parece que ou não sabe o que faz ou não faz o que sabe. Será o único resistente destes 3 jogadores daqui a uns anos o que me deixa algo preocupado e caso de se limitar a uma parca evolução das suas capacidades.

As coisas mudaram com a entrada de algum peso e força no relvado. Adrien Silva e William foram fresquinhos lá para dentro e parece que tudo mudou. Adrien ainda participou na jogada do golo com o remate travado apenas por… Éder e se de dinâmicas Portugal dependesse julgo que foi mesmo a partir do momento em que Fernando Santos começou a fazer alterações que a coisa ficou menos torta. Foi uma sorte termos chegado ao intervalo a zeros…

Temos agora um conjunto que não ganha pontos pela média de idades. A renovação nacional passou para segundo plano a partir do desaire com a Albânia (que numa semana deixou-se empatar com a França e perdeu à última com a Itália, demonstrando desde já que nem parece tão abismal a nossa derrota em Aveiro) mas dá para ver que ainda há muita peça que tem de ser oleada e outras que já vão no bom caminho para o sucesso. O tal Raphael que joga na esquerda parece-me um jogador super esforçado que dá tudo até à última e o golo não deixou de ser um prémio mais do que merecido para o jovem defesa do Lorient. Também deu gosto ver o Jonathan Silva a representar o país do tango no Teatro dos Sonhos, certamente virá mais moralizado para a terra do Leão.

Precisamos sim é de meio Ibrahimovic no ataque para não estarmos a meter o melhor do mundo numa gaiola à espera que lhe caiam bolas (no entanto se caírem é golo quase certo). Se o Postiga esmoreceu o instinto matador sem deixar cair bolas no chão, o Éder parece um holograma na hora de rematar e o Hugo Almeida… bem… grande bigode, não podemos depender sempre do mesmo para resolver os enigmas. Porque depois se a seleção não ganha a culpa é do Ronaldo, pois!

Finalizando da forma mais irónica possível, caros senhores jornalistas: – Até ao fim de semana sobram bastantes oportunidades de voltar a perguntar ao Nani se gostava que fosse possível voltar ao Manchester para render os milhões de euros que recebe anualmente. Como se uma vez não tivesse sido especulativa o suficiente porque não perguntar ao William ou Patrício se seria fixe jogar em Inglaterra para de uma vez por todas cagar também a notícia de não se sentirem bem no Sporting? Ou então perguntar ao Marco Silva ou ao Paulinho se não pretendiam um ordenado à Real Madrid para cimentar de vez o altamente dividido balneário sportinguista? Eu também queria… mas não era motivo para torcer por outro clube.