Nai

Jogos grandes? Isso é connosco!

por 15 de Outubro de 2014Os textos do Damas0 Comentários

Parece que os grandes desafios não nos dão uma folga que seja. Quis a sorte ou o destino, que pela segunda época consecutiva, o Sporting voltasse a defrontar um rival numa fase prematura da Taça de Portugal. Depois da deslocação à Luz na época transacta, onde fomos claramente prejudicados por uma arbitragem no mínimo vergonhosa e eliminados de forma injusta, este ano, o sorteio ditou que a deslocação fosse ao dragão. Confesso que não sou muito de comentar sorteios, até porque alguma equipa tem que nos calhar e a que calhar é um alvo a abater, é simples. No entanto, não deixo de achar uma enorme coincidência. Principalmente, o facto de por duas vezes seguidas jogarmos fora. De qualquer forma, nem mesmo todas estas adversidades me fazem duvidar de que seremos nós a passar a eliminatória, porque não interessa se o adversário é A, B ou C, ou se jogamos fora ou em casa. Somos de longe a melhor equipa a jogar futebol em Portugal e este "pequeno" detalhe faz-me estar mais do que convicto de que, no próximo sábado, saíremos invictos da cidade invicta.

Ora, passados que estão quase dois meses, desde o início oficial da época, este será o nosso quarto jogo grande, isto se contarmos com o jogo em Alvalade contra o Chelsea, o que dá uma média incrível de um jogo grande a cada duas semanas. Sinto-me quase como se estivéssemos a disputar uma Premier League ou algo do género, tal o número de desafios com um grau de dificuldade elevado. Se há coisa da qual Marco Silva e seus pupilos não se podem queixar é de falta de competitividade, pois essa tem estado ao rubro para os nossos lados. Pelo que tenho ouvido um pouco por toda a parte, as opiniões dividem-se quanto a este assunto. E se por um lado, uns acham isto muito bom, outros, acham isto muito mau. Um dos argumentos que mais tenho ouvido prende-se com a questão da falta de experiência do plantel para aguentar toda a pressão que advém desta situação. Eu consigo ver um plantel jovem que ainda procura a sua melhor forma, mas também consigo ver que, de jogo para jogo,  a equipa vai desenvolvendo as suas rotinas e assimilando os processos do treinador leonino. Penso que seja um facto indesmentível. Acrescento ainda, que se o desejo de todos nós, é o de que Sporting seja uma equipa mais competitiva, de modo a poder disputar todas as competições em que está envolvido, a realidade com a qual nos temos batido poderá muito bem ser um factor positivo. Desta forma, a equipa mantém sistematicamente os níveis de competitividade em alta, evoluindo e crescendo mais rápido, o que poderá ajudar e muito ao nosso sucesso em todas as frentes de batalha.

Mais uma vez, vamos ter pela frente uma dupla jornada bastante adversa. Começa já no sábado, com o Porto e a meio da semana com o Schalke 04. Dois jogos muito importantes e que irão definir o futuro do Sporting em duas competições distintas. Para o jogo no dragão, sabemos que apenas a vitória nos poderá garantir a permanência na disputa pela 16ª Taça de Portugal, ao passo que, para o jogo de Gelsenkirchen, será importante conseguir um resultado positivo, de forma a podermos manter em aberto a nossa continuidade nas competições europeias contudo não será decisivo. Seria bom que no fim da primeira volta da fase de grupos da liga milionária contássemos com quatro pontos. Um objectivo que, convenhamos, não parece estar assim tão fora do nosso alcance. Basta termos uma real noção das nossas capacidades e olharmos para aquilo que o Maribor conseguiu fazer em solo alemão.  Temos motivos mais do que suficientes para acreditar que é possível vencer e trazer para casa três preciosos pontos. Eu como sempre acredito. Tenho a certeza que se estivermos ao nosso melhor nível podemos perfeitamente vencer os próximos dois jogos, basta estarmos ao nível da primeira parte com o Porto e ao da segunda parte com o Chelsea. Se for possível juntar esse nível exibicional durante os 90 minutos, melhor.