• duque
  • sch

Poder vs Sporting

por 30 de Outubro de 2014Os textos do Damas0 Comentários

Uma semana depois do (desigual) confronto entre Schalke 04 e Sporting, a UEFA veio publicamente rejeitar a queixa que o clube de Alvalade apresentou, argumentando que o Comité de Controlo, Ética e Disciplina, a considerou como inadmissível. A informação foi dada pelo site desportivo Maisfutebol, e se o termo usado pela UEFA foi mesmo “inadmissível”, gostaria de saber qual foi o termo usado para qualificar a arbitragem daquele senhor russo careca (o qual me recuso a chamar pelo nome), que nada mais fez a não ser prejudicar claramente o Sporting durante 90 minutos de jogo. Inadmissível, meus senhores, é o Maurício ter feito duas faltas – e uma delas nem sequer era passível de cartão amarelo - e ser expulso. Inadmissível, é um árbitro de baliza assinalar uma suposta mão na grande área, quando isso não lhe compete e muito menos, quando nada disto aconteceu. Tudo isto de frente para o lance e sem qualquer tipo de obstrução ao seu campo de visão.

Até o director do Schalke 04, Horst Heldt, se mostrou solidário com a nossa causa, gesto esse que defino com sendo de grande coragem e carácter, ironizando o sucesso da utilização dos árbitros de baliza. Mais uma vez, ficou provado que os interesses financeiros também entram em campo, que nada disto é apenas futebol e que a verdade desportiva é manipulada por aqueles que detêm o poder. A UEFA, é claramente uma organização controlada pelo cartel dos principais clubes europeus, e mesmo não sendo esse o caso do Schalke 04, o peso do patrocínio Gazprom nas suas camisolas terá feito toda a diferença. E isto sim, é inadmissível.

No meio disto tudo, não foi a derrota que mais me revoltou, é certo continuamos apenas com um ponto e ficámos mais longe dos oitavos-de-final, mas o que mais mexeu comigo foi a forma como aquela equipa de arbitragem “pisou” os nosso jogadores, que depois de uma exibição monstruosa, viram todo o seu esforço se traduzir em nada. Esperemos que vergonhas como esta não se repitam em futuros jogos. E  se a queixa que fizemos de nada nos valeu no imediato, que possa servir, pelo menos, para intimidar e afastar arbitragens deste tipo.

E já que estamos a falar em coisas inadmissíveis, por cá, elas também vão acontecendo. Sim, estou a falar do novo presidente da Liga de Clubes, Luís Duque, e sim, quando todos nós pensávamos que a podridão do futebol português não podia ser mais podre, somos “surpreendidos” por mais esta situação que apenas tem como objectivo prejudicar o Sporting. Os anos passam mas o nosso futebol parece manter-se nas mesmas bases, alimentado por interesses e corrupção, onde aqueles que tentam fazer valer a verdade desportiva são claramente afastados e colocados de parte. Que o diga Bruno de Carvalho que, desde o momento que chegou à presidência do maior de Portugal, passámos a ser uma alvo a abater pelos nossos dois maiores rivais e quanto maior for o nosso sucesso desportivo e financeiro, pior serão as investidas de vermelhas e azuis.

A nossa força e a nossa posição no futebol nos dias de hoje, são uma forte ameaça aos interesses de terceiros e a presidência da Liga foi a última arma utilizada nesta guerra declarada ao clube de Alvalade. Estamos sozinhos na Liga de Clubes neste momento, depois do projecto que apresentámos ter sido descartado e de termos mantido a nossa posição forte e firme, a prioridade passou a ser eleger um presidente que tivesse um passado ligado ao Sporting. Os convidados foram Soares Franco, Bettencourt, Godinho Lopes e Luís Duque, tendo apenas este último aceite o convite. Ora, já não bastava todo o prejuízo que este senhor nos causou nas suas passagens pelo clube, pelo qual ainda espero que se faça justiça, como ainda o vamos ver a juntar-se a esta aliança entre Porto e Benfica. Não se adivinham dias fáceis para o Sporting, vamos ter de lutar em todas as frentes, com todas as armas que temos, numa luta que se estende para lá dos relvados e que promete ser muito dura. Resta-me desejar que a influência de todos estes agentes não chegue dentro dos relvados e que pelo menos aí, a verdade desportiva saia sempre vencedora. Eles vão tentar de tudo para nos deitar abaixo, mas a nossa força é brutal e nós vamos vencer.