marta

Coração de Leão!

por 30 de Setembro de 2014Hoje é dia de Sporting, O Sporting lá fora0 Comentários

“Nós somos o Sporting, não tememos ninguém!” Quem disse isto?

Já digo. Vou agora agarrar-me um pouco à sua história enquanto jogador e símbolo do leão rampante, para continuar a escrever as linhas deste post.

Ele entrava em cada partida como se fosse a última. Sempre com o mesmo prazer e vontade. Não dava um lance como perdido e nunca baixava os braços. Quando as coisas corriam menos bem, cravava as unhas na cara e redobrava o empenho, quando ele ou a sua equipa marcava um golo, era maravilhoso ver a paixão e o orgulho com que beijava o símbolo da mais bela camisola do mundo. Era um jogador com defeitos mas com uma raça desmedida e uma paixão avassaladora que acabavam por disfarçar as limitações e ao mesmo tempo contagiar todos os sportinguistas com a forma especial como sentia o Clube.

Era o capitão de todos, até dos adeptos. Para nós, ele era (e ainda é) um exemplo daquilo que quem veste as nossas cores deve ser. Era um homem de sangue verde e que se sentia um privilegiado por poder vestir a verde e branca. Em cada momento de glória no Sporting fazia questão de o celebrar com quem gostava. Connosco!

Em termos de paixão, até porque o futebol mudou muito, não peço aos rapazes de hoje, que entrem como se fossem o Ricardo Sá Pinto. No entanto, peço que em termos de dedicação, esforço e orgulho, sejam um réplica do que foi este Ricardo, com um coração de Leão.

Porque é mesmo nesse coração de Leão que reside a arma mais importante para o jogo de mais logo à noite. No dos rapazes mas também no nosso. O do 12º jogador. Frente a um plantel de 453 milhões de euros vamos ter que suar a camisola. Vamos ter que proporcionar um ambiente verdadeiramente infernal. Em Alvalade, é dia de cantar ainda mais alto, de incentivar ainda mais e fazer da nossa casa o palco mais bonito de Portugal. Rapazes: "Nós somos o Sporting, não tememos ninguém!". Deixem a alma em campo, porque o coração do Sporting somos nós e nunca vamos deixar que ele pare de bater.