xr

Estou feliz!

por 20 de Agosto de 2014Os textos do Damas0 Comentários

Olá,

Depois de um dia maravilho como o de ontem, senti um desejo incontrolável de voltar a deixar-te umas palavras. A verdade é que na maioria das vezes apenas escrevi sobre ti, mas hoje, decidi ser mais directo e voltar a abrir-te o meu coração.

Estou feliz!

Vou cantando: " O mundo sabe que...", naquela versão slow motion que me deixa em pele de galinha. Recebo uma chamada do meu pai, a perguntar-me se eu tinha gostado da prenda de ontem, digo-lhe que estava obviamente deslumbrado - de tal forma que tocar no assunto até me faz parecer um idoso com Parkinson enquanto escrevo. Voltando ao telemóvel, liguei para um amigo Sportinguista. Estava radiante, tal e qual como eu. Desligo e olho para a foto do ecrã ( Eu a festejar com os meus em Alvalade) e esboço um sorriso. Dia de trabalho cumprido, vou buscar as chaves do carro. Olho para o meu porta-chaves com a tua imagem e volto a sorrir!

Hoje, estou feliz! Vou libertar alguma desta energia acumulada. Equipo-me com os teus calções pretos, visto a tua t-shirt de aquecimento e por cima levo a tua camisola verde e branca que tantos momentos íntimos e memoráveis já nos ofereceu. Não a uso por causa do Adrien, do William ou do Nani, uso por orgulho e por vaidade. Uso pelo nosso emblema, pela nossa história e pela nossa paixão.

Volto para casa e vou ao frigorífico para beber água. Ao abrir-lo, não pude deixar de olhar para os vários ímanes com a tua fotografia, colocados na porta. "É doença!", digo eu a sorrir.

Muitos destes e outros pormenores fazem parte da minha vida. Nesta minha doença, que muitos a consideram como um distúrbio mental, nós somos unha e carne. De tal forma que se torna inconsciente. Tem tanto de puro como de verdadeiro. Porque nesta doença também existe um perfume que se cheira, uma pele que impressiona e uma beleza rara. Também é palpável, real e deixa o coração a bater a um ritmo acelerado.

Vou soprando o teu nome aos quatro cantos do mundo e nunca não perco uma oportunidade de contar a nossa história ou de relembrar bons momentos. Nos maus, demonstrámos a solidez do nosso compromisso. Mas, no fundo, também é isso que nos aproxima, porque no bem e no mal, esta luta é dos dois.

Ontem, numa das tuas mais belas demonstrações, transmitiste-me entusiasmo e vitalidade. Deste-me sinais de que estamos a caminhar de mãos dadas para um futuro risonho. E eu hoje estou feliz!

Voltar a ver-te sorrir, deixa-me deslumbrado. Consigo ver, porque te conheço bem, o teu ar saudável, a tua determinação e vontade em atingir uma glória que faz parte da nossa centenária história. O impacto dos teus actos na nossa relação esta a reacender uma labareda que dá vontade de ser campeão. E juntos teremos a força para lutar por isso.

Neste momento, só tenho certezas de uma coisa: enquanto eu andar aqui, esta doença será a maior paixão da minha vida.

Estou feliz e com um sorriso verde na cara!