• Rui-2
  • Rui1

Será sempre o número 1 do Sporting Clube de Portugal

por 18 de Junho de 2014Os textos do Damas0 Comentários

48 horas depois da mannschaft atropelar a fraca selecção Portuguesa, ecoam os ecos da desgraça, atribuem-se culpas no cartório e colocam-se cabeças a prémio. Na linha da frente encontra-se Rui Patrício.“Mula”, aqui nos Marrazes, São Patrício no universo leonino, É o alvo das mais fortes criticas e para muitos o principal culpado do atropelamento que Portugal sofreu no ´treino germânico´ de segunda-feira.
Raul Meireles, Miguel Veloso, Pepe, Bruno Alves, Fábio Coentrão, João Pereira, André Almeida, têm culpa? Não. Rui Patrício é que não tem qualidade para representar a equipa das Quinas. Então que chamem Beto ou Eduardo e ficaremos todos muito mais tranquilos. Os Sportinguistas agradecem.

Não é fácil gostar de um guarda-redes como Rui Patrício mas a explicação para o fenómeno é simples: É o número 1 da baliza do Sporting e um dos mais talentosos guarda-redes da Europa. Fosse ele, Rui Oblak, suplente de Belec na Eslovénia, e Real Madrid e Barcelona, andariam à “Pepe” – leia-se cabeçada – para disputar um guarda-redes que nada provou até ao momento, senão o prazer de ser protegido por um dupla como Luisão/Garay.
Falando de provas dadas, Rui Patrício está na baliza que foi de Vítor Damas há oito temporadas consecutivas. Entrou para defender um penalty na Madeira e não mais saiu. Rui Patrício, o São Patrício, é um guarda-redes talentoso, contudo também é humano. Comete falhas, ja deu alguns “frangos” mas numa breve pesquisa no youtube encontro Oliver Kahn, Peter Schmeichel, Buffon, Casillas, Valdés, Dida, De Gea, Petr Cech, Van der Sar, a fazerem as mesmas “tristes” figuras. Como é de conhecimento comum, ninguém é imune ao erro, muito menos naquela que é a unanimemente considera, a posição mais ingrata no futebol.

Enquanto adepto leonino e particular apreciador das qualidades do capitão leonino, apraz-me saber que Rui Patrício esta misteriosamente lesionado. Apraz-me saber que não vai estar na montra do mundo a despertar a cobiça de um futebol europeu que o tem certamente debaixo de olho.  Rui Patrício, que tem sido associado e aliciado a juntar-se ao novo projecto de Leonardo Jardim no clube monegasco, sai assim de cena, restando-me a esperança que caia no esquecimento dos milhões de um principado no sul de França.

Em Portugal, na Ucrânia, em Inglaterra, em todo o lado, Rui Patrício, é cada vez mais o sucessor de Vítor Damas e o dono da baliza do Sporting. Com trabalho e profissionalismo, “mula” caiu no goto dos adeptos. É hoje em dia, um símbolo do Sporting clube de Portugal e trata-se de uma referência que todos os Sportinguistas querem continuar a ver entre os postes. O Sporting precisa de referências para as novas gerações, Rui Patrício pode ser um exemplo. O Sporting precisa de mostrar que neste clube se pode jogar durante uma carreira e sempre ao mais alto nível, Rui Patrício pode ser um exemplo. Precisamos de ter um Totti, um Zanetti, um Buffon, um Kahn, um Giggs, um Del Piero, um Xavi, um Puyol e Rui Patrício, tem tudo para ser um destes exemplos.

Se para uns, Rui Patrício não passa de um banalíssimo guarda-redes ou é apenas o principal alvo de chacota de uma nação, para o universo leonino, São Patrício, esta no top dos melhores guarda-redes mundiais, é sem margem para contestação, o melhor guarda-redes do seu país, representa o clube do leão rampante há trezes anos e tem uma massa adepta que o deseja por outros tantos na baliza do eterno Vítor Damas.