Habemus Treinador

por 22 de Maio de 2014Os textos do Damas0 Comentários

Um dia depois do universo sportinguista tomar conhecimento de que Leonardo Jardim decidiu abandonar o “barco”, a direcção, numa clara demonstração de que “em Alvalade não se dorme”, emitiu um comunicado onde informava que às 19h45, o Sporting clube de Portugal iria apresentar o novo treinador. 

Enquanto a direcção participava no conclave e os media bombardeavam informação, tornava-se mais que previsível o nome do sucessor do técnico madeirense, mas era preciso ver o fumo branco, entenda-se ver o presidente lado a lado com Marco Silva na conferência de imprensa, para oficializar o “ritual”.

19h45, sala cheia e as primeiras imagens confirmam aquilo pelo qual todos esperávamos: Marco Silva é o próximo treinador do Sporting. Chegou a acordo num contrato válido por 4 épocas.


Voltemos a um passado recente, antes de falarmos do senhor que se segue no comando do Sporting.

Ainda não totalmente desfeito deste término de relação, utilizo este texto escrito pelo “Cherba” (http://comandoc.com/meia-noite-no-jardim-do-bem-e-do-mal/) como motor de inspiração para o combate a algumas duvidas que me assolam o pensamento e que decidi partilhar com vocês. 

Diego Simeone, é o treinador do ano. Numa liga onde competiu com dois dos mais poderosos clubes do mundo, a entrega, a dedicação e o profissionalismo do treinador do Atlético de Madrid leva-o a conquistar um dos feitos mais espectaculares a que assisti enquanto amante do futebol. Mas, “el Cholo”, utilizou como principal arma: a paixão. E foi essa paixão que conseguiu transformar uma equipa pouco mais que banal, comparativamente ao seus rivais, numa das melhores equipas do mundo nesta temporada.

Para quem gosta de futebol, sabe do que falo. É apaixonante ver o Atlético jogar. A relação de Diego Costa com o golo, a raça de Arda Turan, o compromisso táctico de Tiago, a categoria de Courtois entre os postes, enfim… o Atlético é uma panóplia de sentimentos positivos. Os jogadores lutam até ao ultimo suspiro, elevam o compromisso com o emblema aos primórdios dos seus fundadores e estão unidos a uma causa de corpo e alma. O sucesso deste clube centra-se em torno de um nome: Diego Simeone. 

São mais do que evidentes as qualidades do treinador do novo campeão espanhol, mas no meu ponto de vista, continua a ser a paixão e o amor que sente enquanto colchonero, a principal arma para quebrar um jejum de 18 anos.

O que pretendo com isto? É fácil. Leonardo Jardim, não foi capaz de acompanhar este Sporting apaixonante. Teve medo de escrever uma das mais belas páginas na história do clube e isso tem que me causar incomodo.

Marco Silva, assim que soou o alarme de que o Sporting procurava uma solução, o ex-técnico do Estoril, foi sempre a primeira escolha da maioria dos adeptos Sportinguistas. O clube aposta num treinador jovem, competente e com provas dadas. Daquilo que observei, a opinião é francamente positiva. Pois é um treinador ambicioso, que colocou o Estoril a jogar à bola e que nunca apareceu nas flash-interviews a desculpabilizar os seus erros com factores alheios. Face a conjunta actual, Marco Silva é o melhor treinador para suceder a Leonardo Jardim. 

Todavia, como se costuma dizer: não se deve mexer no que está bem. O Sporting foi obrigado a mexer, foi rápido e assertivo mas resta-nos esperar que Marco Silva consiga ter participação mais activa no projecto e na causa Sporting do que aquela que Leonardo Jardim acabou de demonstrar.

À partida será complicado. É de conhecimento público que Marco Silva é adepto de outras cores. Terá isso influência? Penso que não.  Se assim fosse, Ricardo Sá Pinto ainda hoje era treinador do Sporting. Acima de tudo será um profissional e acredito que tudo irá fazer para responder às exigências de um clube com a grandeza do Sporting clube de Portugal. 


Novamente numa comparação com Diego Simeone, seria hipócrita da minha parte dizer que Marco Silva não parte em desvantagem, quando afirmo que “el Chocho” utilizou a arma mais bonita e cativante do futebol para colocar o atlético de Madrid no topo do futebol mundial. 

Para finalizar, e com nota positiva, tenho que admitir que as primeiras palavras enquanto treinador do Sporting foram de leão! 


P.S.: O novo treinador do Sporting, é o meu treinador e o melhor do mundo!

 
 
Sporting sempre