• elias

Não há estrelas no céu, estão no campo!

por 8 de Abril de 2014À saída do estádio, Os textos do Damas0 Comentários

Desculpa Paços de Ferreira. Já ias lançado para uma recuperação estonteante o que tornou este último teste mais derradeiro para nós. Soube-nos melhor esta vitória e então quando o Sli assistiu de calcanhar o Sr. Futebol para o primeiro golo… que loucura! Até a trocar os papéis marcamos golo.

Também um pormenor importante para o segundo. Antes do Adrien marcar o pontapé de canto pediu a um fotógrafo se chegar para trás pois não conseguia ver a pequena área. Lindo! O Rojo ficou isolado antes de desferir o golpe fatal. Como sou o gajo das metáforas posso bem usar este lance para retratar cenas tipo “se não houver empecilhos mostramos o que sabemos fazer” ou então “Cheguem-se para trás para apreciar” entre outras…

Agora o terceiro tento levou fogo do pé do Adrien. Mais bonito seria sem aquela névoa a tapar a imagem mas o replay mostrou um petardo na gaveta. E foi bonito na mesma. Fez me lembrar uma bomba também ela do Balakov há 21 anos e meio ao gloriosíssimo, no meio daquele fumo todo. Mas desta vez era do clima e ainda bem que D. Sebastião regressará numa manhã de nevoeiro para salvar a nação. Sem querer ferir susceptibilidades se calha a ter sido àquela hora tinha voltado para trás…

Sinto-me de momento na obrigação de agradecer ao Elias. Um pouco conturbada esta saída, um divórcio prolongado e uma desvontade que ele tinha de cá ficar mas como qualquer jogador que sentiu o peso da camisola do Sporting admirei a sua contratação na altura e a solidez que nos causou num bom meio campo que mesmo assim se situou em 2 épocas irregulares.

Fala-se agora numa poupança a rondar os 8 milhões de euros que seriam do tempo remanescente do contracto e direitos de imagem. É pois, mais um espelhanço da limpeza pela qual votámos e na qual felizmente vivemos. E diga-se que já vai tarde visto que, para todas as partes, este é o cenário menos mau e Eliseu Trindade (pai e representante do jogador) tirou connosco o mesmo curso que um tal de Bebiano Gomes, há uns meses, quando presenciou um Punho de Ferro hospedado nos valores e na perserverança do universo verde e branco.

Agora o caminho é não destoar e aproximarmo-nos do nosso cenário ideal. Trabalhar a olhar para a frente porque a casa lá atrás já está arrumada. Numa quase certa passagem à fase de grupos da Liga dos Campeões que nos irá valer quase 10 milhões de euros no cofre, acrescentamos os direitos televisivos e mais vários tipos de receitas extra. Não nos iremos perder em loucuras. Big Bruno já deixou claro que o caminho já está traçado e o juízo é meio caminho andado para a consistência leonina.
Será certo que o plantel terá de ganhar peso. São mais jogos no calendário, a exigência é maior. Provavelmente iremos jogar com uma equipa mais jovem na taça da cerveja porque, não a menosprezando nem aos nossos, a estratégia passa a ser outra. Afinal irá ser especial para toda a gente jogar numa competição inédita no mundo em que as regras vão variando de equipa para equipa.

Vamos ter um campeonato a 18 equipas novamente porque a obrigação de recolocar o Boavista para limpar uma nódoa já antiga assim o demonstra como a decisão mais razoável numa república de bananas.

Até que aprecio mais equipas no principal campeonato. É verdade que se perde alguma competitividade mas as equipas mais pequenas ganham 2 jogos em casa para receitas. E casos como o do União de Leiria – Farense no dia 29 de Abril de 2012 em que a equipa do Liz se apresentou com 8 jogadores de relvado foram uma real “escarreta” na imagem do futebol tuga. Agora há é que arranjar métodos para encher teatros de futebol… Pois!

Por falar em espectadores as estatísticas apreciam-nos. Regra geral do campeonato o Sporting é a equipa que mais visitantes leva aos estádios alheios. Tirando os números dos chamados três grandes nos seus estádios a média de espectadores nos jogos caseiros das outras equipas é bem superior quando o William (Parabéns pah!), o Patrício, o Leonardo e os outros mil lá passam. Parece que termo-nos emancipado esta época também é apreciado pelo espectáculo.

Para a próxima época já temos a solução João Mário, um excelente prémio para o trabalho feito. Para a próxima época iremos canalizar eventuais lucros da Champions para recomprar passes de jogadores.Para a próxima época seremos mais fortes e seremos mais Sporting!
Até lá o leão não dorme. Há 4 jogos para ganhar ainda…

Verde, logo existo!