10155005_10151999905296555_969006671920390089_n

It’s a Kind of Magic

por 26 de Abril de 2014O Sporting lá fora, Os textos do Damas0 Comentários

Mágicos! Assim falaram os patrões da competição acerca do Sporting, na pré-análise dos quartos-de-final da EHF Cup. Realçou-se assim a grande surpresa da prova como tendo um ataque mortífero, fruto de um forte caudal ofensivo que é aliado ao fatal contra-ataque da jovem equipa verde e branca. Isto até foi dito antes da vitória caseira contra o Pick Szeged.

Os 5-1 iniciais para os forasteiros podem muito bem ter sido motivados por excesso de respeito dado por nós, mas, se formos analisar a cru a qualidade de todas as equipas, os húngaros são favoritos a erguer o troféu no final. Nota-se um claro poderio físico, mais forte, que se fez valer neste primeiro jogo, em fases algo difíceis, para os superarmos na sua metade do campo. Após um encaixe dos dois estilos de jogo apresentados, conseguimos equilibrar, ao ponto de passarmos para a frente do marcador, mas ao intervalo perdíamos por 12-11, numa partida já aí bastante renhida.

Na segunda parte, as dificuldades para nós permaneceriam intactas, mas conseguimos passar para a frente aos 45 minutos, depois de muita correria para fugir à sólida defesa, em cada ataque por nós delineado. Eu chamo-lhe ligar o modo Super-Sporting pois comparo isto a uma corrida do Fast and Furious em que tivemos de ir aos "entrefolhos" do banco do pendura ligar o óxido nitroso. Mas, fácil é estar a escrever isto sentado, os jogadores deram o litro até ao fim e agradecidos ficámos por isso.

Ganhámos por 29-27 a uma equipa de topo europeu que tem um plantel para jogar a EHF Champions League de forma segura, tal é a qualidade que possui.

Agora é na Hungria, dia 27. Gosto de vos picar para apoiarem da forma mais directa possível os nossos heróis. Se estiverem por aqueles lados no fim de semana, ou até se forem excêntricos ao ponto de vos apetecer um Goulash (é tipo o guisado lá da terra), não deixem de gritar por lá quem é que manda. Se ficarem por cá, torçam bem alto que o jogo vai ser fera e queremos andar por Berlim nos dias 17 e 18 de Maio para a Final Four!

Torço para que o nível português no andebol cresça de forma significativa. Não deixo de dar uma palmadinha nos ombros dos jogadores do Águas Santas, pois também estão a voar bem alto na Europa, pela Taça Challenge, embora na Sérvia tenham perdido por 8 golos.

Por outro lado, verifico que a qualidade da Liga dos Campeões em andebol é qualquer coisa que tem de ser vista por todos os amantes. Também com 8 equipas em prova, o poderoso PSG (com Hansen, Narcisse e Luc Abalo) perdeu em casa por 2 golos com o MKB-MVM Veszprém... também das valentes terras húngaras. O Kiel continua a trucidar, como é hábito nos últimos anos, e o Barcelona de Karabatic foi perder à Alemanha por 8 golos com o Rhein-Neckar Lowen do keeper dinamarquês Landim e também de Uwe Gensheimer. Este ponta... bem, se quiserem ver coisas bonitas de se fazer, é só procurarem por ele no Youtube, pode ser que apanhem um dos 14 golos que marcou no último jogo.

Aparte os meus hobbies, é pelo verde que existo. Quero tanto o campeonato como todos vós, mas vai ser taco a taco até ao fim. Agora somos nós que combatemos algum cansaço mas a motivação que ganhamos com os jogos extra pode servir para superar de dificuldades. Em bastantes jogos já esta época assistimos a clicks dos jogadores em momentos chave. Eles continuam a agradecer o apoio dos adeptos e acredito que se lhes dessem a escolher ficar sem uma mão ou sem um ouvido preferiam não abdicar do que os faz mover mais do que objectivos pessoais. Há uma grande cumplicidade de uma equipa na parte de dentro de um campo de 40x20 metros para os apoiantes que estão na parte de fora.

Para o campeonato nacional (numa jornada que já fizemos) o Benfica perdeu em casa por 1 com o Porto num jogo em que os do norte marcaram 2 golos dentro dos 5 segundos finais. Ainda temos o ABC que conta por vitórias os 4 jogos realizados. Nós vamos com 6 partidas disputadas na fase final e estamos em primeiro, eles é que têm ainda de correr, mas ainda há bastante campeonato e, fazendo contas de forma mais ou menos difícil por as partidas não se realizarem todas na mesma altura, continuamos bem encaminhados para um final com glória e temos apenas de acreditar no nosso trabalho. É por isso que somos tão grandes!

 

Verde, logo existo!