• post2

O Bom, o Mau e o Verde!

por 21 de Março de 2014Mão Verde, Os textos do Damas0 Comentários

Europa, segura-te!

Já na semana passada tínhamos falado que, embora o Zomimak fosse a equipa mais fraca do grupo, um jogo bem gerido apenas seria considerado se não houvesse facilitismos da nossa parte. Assim aconteceu no Sábado passado, na Macedónia.Uma real “coça” de andebol foi o que se viu por aqueles lados, O resultado de 24-36 deixou-nos a pensar que os nossos 2 Pedros em conjunto marcaram apenas menos 2 golos que a equipa adversária inteira. Solha facturou por 10 vezes e reparte o 2º lugar com um jogador romeno, ambos com 29 tentos. Portela acrescentou 12 à conta pessoal e disparou isolado nos Top Scorers da EHF Cup com 35 finalizações certeiras. Mas se por um lado cumprimos com a nossa obrigação por outro ainda não garantimos a passagem à próxima fase, mesmo assim, bem mais perto.As contas nem são assim tão difíceis de fazer: 4 grupos, passam os primeiros e os 3 melhores “vices”, ou seja o pior segundo classificado cai fora. Nas contas vamos bem encaminhados com 6 pontos em 4 jogos no grupo B pois só cedemos uma derrota, em casa, contra o Montpellier (com 8 pontos de 4 vitórias em outros tantos jogos) , um eterno favorito.A espelhar a pontuação está o grupo C com exactamente os mesmos pontos em todas as posições. Espera-se que a grande luta pelo outro 2º lugar passe pelos grupos A e D que se encontram muito renhidos e os últimos classificados não vão ceder muitos pontos para os primeiros. Só para se ter uma ideia, no grupo A o primeiro classificado tem 5 pontos e o último tem 3 (os outros acumulam 4 cada um). Na pior das hipóteses lideramos um dos factores de desempate pois temos o melhor ataque da prova (e melhor diferença de golos). As contas serão bem mais fáceis de fazer no final da 5ª jornada e a nós, no Domingo dia 23, em Mafra, cabe-nos ganhar ao Skjern quando já o fizemos na primeira volta, na Dinamarca por 25-32. Este Skjern Handbold parece ser uma equipa mais sólida do que no início da competição pois embora tenham ganho na Macedónia por apenas um golo perdeu em França por apenas 2 na última jornada. Ultrapassando este próximo adversário temos um bom tónico para disputarmos a liderança do grupo, no derradeiro jogo, com o clube já por 14 vezes campeão francês.

A parte chata deste texto é ter de falar no último jogo do campeonato. Se não fosse um fanático em colocar os temas por datas este tinha ido para o início pois por esta altura já não estaria a falar da derrota com o ABC, em Braga. Mas um sportinguista apoia nas vitórias e nas derrotas e há que tirar a parte positiva, porque há sempre uma.O jogo da última quarta-feira foi equilibrado nos primeiros minutos, nos quais vimos evidenciadas algumas defesas por ambos os guarda-redes mas o ABC conseguiu arrancar primeiro e, num ambiente tipicamente “andebolês” onde já vários clubes caíram esta época, o Sporting viu difícil a missão de tentar equilibrar o marcador. Se no intervalo a desvantagem era de 13-10 no início da segunda parte algumas falhas técnicas deixaram a equipa de Braga a ganhar por 17-11. As equipas estavam bastante encaixadas e obrigaram a que muitas das vezes se jogasse no limiar do jogo passivo. Não baixando os braços conseguimos equilibrar até à parte final mas os últimos minutos foram favoráveis aos minhotos que assim venceram por 24-23. Continuamos a liderar o campeonato à condição mas mesmo assim dependemos apenas de nós para terminar a época na posição que tanto queremos, no topo da tabela.

Não deixo passar ao lado um pedido à nossa gerência. Trabalhamos (e bem) com um sistema de jogo que depende de apenas um canhoto e já no último jogo foi colocado o ponta esquerda Ricardo Dias a jogar do lado direito enquanto que o Pedro Portela passou para lateral. Embora tenham estado em excelente plano, poder usufruir de mais soluções não deixa de ser vantajoso, tanto na táctica como no milésimo de segundo que se tem para trabalhar uma jogada de golo. Jamais dizer que estamos mal, antes pelo contrário. Mas somos um osso duríssimo de roer quando as outras equipas não têm este enigma. O que seria se também não o tivéssemos?!

Considera-se no global que a campanha verde e branca, tanto a nível interno como internacional, está bem de saúde e recomenda-se. Até a própria Europa do Andebol considera o Sporting Clube de Portugal uma surpresa positiva nesta época. Um clube que tem 19 campeonatos, 14 taças de Portugal, 3 supertaças nacionais e 1 taça Challenge (bem recente) só merece todo o nosso apoio e deverá acentuar-se já no jogo de Domingo, no pavilhão de Mafra. Em épocas de reality shows e depois de ainda termos presente na memória a guerra da Liga com a FAP as televisões não têm considerado o Andebol (e outras modalidades) um conteúdo rentável para o negócio. Contudo, o nosso negócio é vencer!