dani

Mexe, mexe que eu gosto!

por 18 de Março de 2014À saída do estádio, Os textos do Damas0 Comentários

Chamemos-lhe Karma!
Sim, parece que agora também o resto do país acordou para o movimento Basta. Falaram dos árbitros! Outrora, mudos de consciência agora já têm de ver os próprios jogos a olhar para o lado. – Então sportinguistas, agora não falam?! – reclamam com entoação. Inevitavelmente irão ouvir: – Então adversários , agora já falam?! – Interessa agora… certo.

Ainda tinham esperança que o Bruno de Carvalho não abrisse a boca e mesmo que o fizesse que omitisse o lance do golo para poderem parir teorias. Errado e errado.

Agora parece que o árbitro Manuel Mota também foi ameaçado para que o outro clube não ganhasse na Choupana. E já que todos os alemães são por eles considerados nazis o estereótipo chega ao movimento Basta como sendo o principal culpado quando foi frisado desde início que nos desmarcávamos de qualquer tipo de protesto violento. Se querem comparações enfiem o barrete quando se lembrarem da cabeçada que o Pedro Proença levou no Colombo por um adepto... vermelho.

Ordenando os eventos, foi uma tarde bem preparada. Da reunião já habitual na roulote da "ParyBebe" (e vizinhas) quem adiantou a chegada à sala de espectáculos ainda pôde apreciar as músicas: "O trem da fruta" e "A saia da Carolina". Quem se associou a fundo ao movimento da Verdade fora do estádio ainda viu uma chuva de notas de 383€ com a cara do capitalismo (já conhecidas há algum tempo por outros lados). Sinceramente vi o dinheiro no chão já depois de pisado mas acredito que já estivesse sujo antes de ter caído.

Já com o jogo em andamento cedo se viu que a principal arma da equipa adversária era o Quaresma. Ainda se inspirou em 2 ocasiões e quase que estragava a festa mas em tal ambiente a barra da baliza do Patrício inchou e daí para a frente o Cedric acertou-lhe o passo. De realçar que nos onzes iniciais 7 leões foram oriundos da formação (acrescentando ainda o Wilson no final) e os 2 portugueses alheios ao verde foram cá formados mas não foi tido em conta por parte dos adeptos. A lógica fez com que fossem os mais vaiados. Sporting é até morrer!

Se na primeira parte foi demorada a estabilidade, na segunda foi do início ao fim. Então quando o Slim deu boleia ao Abdoulaye para o primeiro poste e depois foi sozinho até ao segundo mostrar como se usa a cabeça o estádio saltou tanto que julgo que apareceu uma montanha na China com a forma de Alvalade. Que orquestra meus amigos!

Uma refeição à portuguesa: Entrada de polvo e café para o final:

Já por aqui foi realçado que algumas vozes do futebol mundial enalteceram a figura Montero como um dos jogadores mais inteligentes em campo mas o problema foi o Fernando não ter lido o texto do "cafetero". O polvo caiu na armadilha e com algum sangue quente, tipicamente, sul americano, foi na cantiga e acabou expulso. Adorava que ele tivesse feito uma visita em Alvalade no jogo com a Académica de Coimbra. Quando o guarda-redes Ricardo queimou aquele tempo todo na 2ª parte... havia de ter sido bonito! Imagino uma cena de Mortal Kombat. El avioncito apenas "pediu" amarelo ao Proença mas vai daí para o "polvo" querer ficar com os louros... a claque agradeceu. E agradeça também ele ao Super Sli por me ter deixado afónico na altura do golo do Sporting porque tentei elaborar uma conjugação de nomes feios quando carregou no Montero, mas fiquei a meio. Se calha a ter ouvido até ao fim o que me ia na alma ainda saltava o túnel e quem levava um safanão era eu. A selecção portuguesa fica agradecida com esta atitude.

Agora falem do fora de jogo que também falamos sobre isso. Não nos escondemos e temos a estatística do nosso lado. Abordem é o assunto no seu todo e não por conveniência. Não tapamos 30 juízos com 1 ou 2 como temos ouvido e lido, pois há quem queira fazer músicas com apenas 2 notas musicais. Até se achou que o Cedric devia de ter levado o 2º amarelo (quando acabou o jogo com a ficha limpa) e ninguém falou do 2º amarelo poupado ao Danilo. Fora o Mangala e o Carlos Eduardo que mais pareciam ceifeiras ninfomaníacas.

Ficam então todos convidados a ver jogos do Sporting ao vivo. Quando perceberem que o William joga ainda melhor ao vivo do que na TV, quando perceberem qual a sensação de ver o homem a tirar meia equipa do caminho a 10Km/H, quando perceberem o que é ovacionar o Helton depois de sair lesionado (quando no Porto havia cartazes ao Patrício acerca de uma exibição menos conseguida pela Selecção) percebem o que é desportivismo. E quando virem milhões de adeptos mobilizarem-se por uma causa em prol de uma equipa percebem o que é o Sporting Clube de Portugal.

Nada está ganho e nada está perdido. É certo que a luta pelo 2º lugar é muito importante porque o ranking europeu nos prepara um tubarão no play-off, em caso de não nos apurarmos directamente mas embora um grande passo tenha sido dado, só mais um degrau continua a ser possível e só nos resta pensar em ganhar o próximo jogo. Depois disso, é pensar no mesmo outra vez.