portela

Sinal verde para seguir em frente

por 25 de Fevereiro de 2014Os textos do Damas0 Comentários

Salta aos olhos da família sportinguista a excelente prestação do nosso clube no que toca ao andebol. Tanto a nível europeu como no campeonato nacional os resultados falam por si.

Terminada a fase regular do campeonato ficámos firmes na primeira posição, fruto de um excelente projecto aliado à determinação e vontade dos jogadores e equipa técnica. O último resultado para o campeonato é exemplo disso, pois a vitória folgada diante do Fafe por 44-23, sendo mais um jogo em que passámos a barreira dos 40 golos, coloca-nos num patamar de topo, com inteira justiça, no andebol nacional. Venha o sorteio para a fase final!
A nível europeu, depois de começarmos bem com uma vitória sempre difícil na Dinamarca diante do Skjern, o desaire caseiro contra os “tubarões” do Montpellier num jogo equilibrado até ao fim não nos fez abrandar o ritmo pretendido e quem pagou a factura foram os jogadores do HC Zomimak-M neste terceiro jogo. Resultado final de 39-22, sem margem para quaisquer dúvidas.

Até ao fim irá especular-se um duelo interessante com os franceses que tiveram de deixar a alma no campo em Mafra para não saírem derrotados. Em termos globais, do grupo A ao D, o Sporting inevitavelmente tem o melhor ataque. Não deixaríamos passar ao lado destaques individuais depois de apresentada a tabela Top10 dos goleadores na EHF Cup, pois estamos bem representados com três jogadores leoninos. Fábio Magalhães, Pedro Solha e claro, Pedro Portela, o jogador que neste último jogo fuzilou a rede adversária por 11 vezes e reparte a liderança com Zatko Frantisek (23 Golos). Portela tem já demonstrado no campeonato nacional um insaciável sentido de golo, que o torna num dos jogadores mais “venenosos” para os guarda-redes opositores.

Estamos pois perante uma equipa jovem e com vontade de vencer numa modalidade cheia de golos e motivos para festejar. Um passe milimétrico do Rui Silva, um bloco do Antunes, um remate numa fracção de segundo do Bruno Moreira ou uma defesa do Candeias, são motivos para podemos desfrutar com orgulho e prazer. Dentro do campo todos eles o têm feito. E bem!

Seguindo ainda o universo sportinguista no que toca a vitórias, o atletismo feminino está também de parabéns, pois foi revalidado o título de campeão nacional feminino em pista coberta. Patrícia Mamona, bateu por duas vezes o seu recorde nacional de triplo salto e garantiu os mínimos para o Mundial de Sopot na Polónia. Marta Onofre, também superou a sua melhor marca em salto à vara e já no sábado, Shaina Mags tinha batido o recorde nacional sub-23 com 6,40 no salto em comprimento (o anterior recorde de 6.38 pertencia a Marta Godinho desde 2001). No sector masculino ficámos em 2º lugar, muito perto da liderança.

O orgulho das modalidades passa por superarmo-nos a nós próprios. Se temos sempre presentes imagens como Carlos Lopes, Naide Gomes, Ricardo Andorinho ou até Peyroteo, seja em que área for, os atletas de hoje serão a referência para os jovens de amanhã. O melhor exemplo que poderemos dar a gerações futuras será certamente a determinação ambiciosa de lutar por títulos e consequentemente, ganhá-los. É por isto que nos divertimos a fazer o que fazemos. É por isto que somos o clube de Portugal.