sporting-2013-14

Ano novo, o desejo de sempre

por 3 de Janeiro de 2014Os textos do Damas0 Comentários

Temos andado um pouco desligados. A época festiva, os afazeres familiares e o corre-corre assim o obrigam. Mas tal não significa que tenhamos estado desatentos.

Em pouco mais de uma semana, com a pausa na Liga, o (ainda) campeão nacional viajou até Alvalade para fazer figura de corpo presente; Elias está, para já, de regresso; Rinaudo, diz-se, estará de saída para a Argentina, Itália ou… Chile; e Jéffren, Welder, Labyad ou Gérson Magrão continuam, ao que parece, cartas fora do baralho escolhido por Leonardo Jardim. Pormenores de uma estrutura que , no arranque de 2014, quer continuar com a casa arrumada para os desafios conhecidos e para os que ainda estão para ser desvendados.

Há exactamente um ano, neste mesmo espaço, era este o plantel desenhado e pretendido para o ano de 2013:

GR: Rui Patrício, Marcelo e GolasDD: (contratação), Cédric e Arias  DE: Insúa e RojoDC: Onyewu, Nuno Reis, Dier, Rojo, (contratação), Tobias Figueiredo e Pedro MendesMD: Fito Rinaudo e ZezinhoMC: Schaars, João Mário e AdrienMO: (contratação), Zaka, e André MartinsEX: Capel, Carrillo, Wilson Eduardo, Esgaio e BrumaPL: Ricky, Viola, Betinho, Rubio e Ghilas

Para o bem e para o mal, um ano depois, as diferenças estão aí. Com William Carvalho e Ivan Piris, poucos se recordam que Arias e Schaars rumaram a Eindhoven; Insúa é segunda opção no Atlético de Madrid e, por cá, há um tal de Jefferson; Montero é rei dos goleadores e Ghilas pouco se destaca no Dragão; Maurício chegou, viu e venceu; Pedro Mendes preferiu não renovar e deixou a porta aberta à ascensão de Rúben Semedo; Onyewu acordou a rescisão; a novela de ‘Bruma, o incompreendido’; Betinho, Tobias Figueiredo, João Mário ou Esgaio vão ganhando minutos pelos «bês»; Zezinho ou Rubio rodam a este; Labyad permanece como ‘o indesejado’; Viola procura melhores momentos no Racing; Vítor Silva foi o «10» encontrado para lutar com André Martins e Adrien; Slimani atrai atenções; e Wilson Eduardo regressou a casa para lutar por um lugar no onze. Os apontamentos são muitos mas, observando as equipas titulares até agora apresentadas por Jardim, o essencial está lá, sem operar grandes mudanças.

E, ainda que sem essas grandes revoluções, o trabalho até agora feito pela parelha direcção/equipa técnica tem sido alvo dos maiores elogios. Bruno de Carvalho e Leonardo Jardim são, sem dúvida, duas das grandes figuras deste primeiro semestre leonino, provando que, mesmo sem muita margem de manobra no mercado de transferências, é possível realinhar prioridades e ombrear com os principais rivais.

Com a equipa na liderança do campeonato e um mês de dezembro em que, apesar dos empates frente a Porto e Nacional, os adeptos tiveram motivos sólidos de satisfação, finalmente, depois de mais de uma época repleta de equívocos, é possível olhar para o virar de ano com a esperança e o desejo de quem sabe que, aliadas a esta vontade de vitória, estão muitas horas de esforço, dedicação, devoção de homens com uma genuína vontade de fazer melhor. Sem aparentes interesses pessoais ou corporativos, o novo ano traz-nos uma renovada sensação de bem-estar em Alvalade, como há muito não era sentido.
E, se muitos duvidaram deste Sporting depois do empate para a liga, um outro empate, também a zero, comprovou que, em 2014, é preciso estar atento ao rugido do leão.