• Luis-redes
  • cherba

Um natal verde e branco

por 26 de Dezembro de 2013Os textos do Damas0 Comentários

Longe vai o tempo em que me sentava ao lado da Árvore de Natal à espera que o meu pai, no seu jeito divertido e animado, distribuísse as prendas. Todos nós temos recordações de Natal. Lembro-me quando era mais novo, recebia equipamentos do Sporting, bolas, chuteiras, Lego, Playmobil... entre outras coisas, como qualquer puto. Agora, com uma idade diferente e mais avançada, deixo as prendas de lado e dou mais importância a outras coisas na vida. Uma mesa bem composta, recheada de comida e bebida, um ombro amigo e muito amor, são os ingredientes necessários para fazer da noite de Natal, uma das mais bonitas e nostálgicas do ano. E esta noite, foi, sem dúvida, uma das mais bonitas e nostálgicas do meu ano.

O Sporting faz parte do meu quotidiano e sempre fez parte da minha família. Foi de mão dada com meu pai que entrei pela primeira vez no antigo Alvalade e foi ele que me fez sócio desde o dia em que nasci. Foram os meus pais que me compraram a maioria das camisolas do Sporting, foram eles, no fundo, que alimentaram esta minha paixão assolapada.

Hoje, mais perto dos intas do que dos intes, foram eles novamente que me voltaram a deixar tão feliz como nos dias em que me sentava ao lado da árvore à espera da minha prenda. Ainda as filhoses e o bolo-rei estavam na mesa quando recebi a primeira prenda. Era um pólo do Sporting. Estava feliz, tão feliz como um puto de 5 anos. Contudo a prenda e as surpresas não se ficavam por ali. Dentro do embrulho estava um postal do Sporting com a seguinte mensagem: « Um Sportinguista como tu tinha que voltar a ser sócio do Sporting. Os teus pais porque te amam e sabem do teu elevado Sportinguismo fizeram-te hoje associado. Bela prenda de natal para quem a merece. Tive o privilegio de me associar a este acto. Um grande abraço e viva o Sporting. Teu amigo e sportinguista, Bernardes Dinis

As lágrimas caíram-me. Descontroladas. Foi uma sensação de felicidade inexplicável. Sem conseguir conter as minhas emoções, dei um longo abraço ao meu Pai, dizendo-lhe que foi a melhor prenda que podia ter recebido. Foram os meus pais, o meu amigo Dinis, e claro, o Sporting, que me proporcionaram um natal mágico. Para uns será pouco, para mim é o melhor que me podia ter acontecido, porque, afinal de contas, o Sporting é isto.

O Sporting é o fortalecer de uma relação entre pai e filho, o Sporting é o oferecer a possibilidade de um Natal à Beatriz e ao Tiago ( Tasca do Cherba ), como muitos de nós um dia sonhamos ter na nossa infância. O Sporting é a camaradagem, a solidariedade, o ser diferente. O Sporting é o meio que conduz a grandes amizades, a grandes noitadas e a muita festa. O Sporting é abraçar um desconhecido e festejar com ele como se fosse um irmão, o Sporting é ficar em pele de galinha a ver os vídeos da Juve Leo, o Sporting é a felicidade estampada no nosso rosto. O Sporting é parte da nossa vida.

Não é o golo mal anulado, não é o vermelho que ficou por mostrar, não é o penalty que fica por marcar que vai alterar o significado deste amor verde e branco. O Sporting não é só é um clube. É muito mais do que isso...

Consegues perceber o que te estou a dizer?

Também não quero saber a resposta. Isto para mim é o Sporting e eu sei ele não sei viver.