163189_galeria_sporting_v_vitoria_fc_j7_liga_zon_sagres_2013_14.jpg

O caminho faz-se caminhando

por 9 de Outubro de 2013Os textos do Damas0 Comentários

Para além dos golos e da vitória, a última jornada ficou marcada por algumas frases, ou melhor, por uma posição definida por Leonardo Jardim. Depois de uma série de dias em que a comunicação social procurou obter uma resposta pronta acerca das verdadeiras ambições deste Sporting, o técnico leonino foi claro e concretizou: «sabemos qual o nosso caminho e não nos iludimos. Importante é o processo em que estamos a trabalhar.»

Nesta e noutras frases pós-Setúbal, Jardim respondeu a tudo o que é profetizado para o Sporting desta temporada. O caminho faz-se caminhando e, por muito que a equipa jogue e por mais golos que se marquem, as nódoas do passado são ainda demasiado recentes para que a fasquia possa estar demasiado elevada. O importante é o processo. Acompanhado de vitórias expressivas? Melhor, muito melhor. Mas, Jardim sabe que o fundamental é enfrentar 2013/14 como um “ano zero”.

2013/14 terá obrigatoriamente de ser uma temporada sem pressões e tensões anormais. Um ano livre da ganância de fazer das habituais contratações apoiadas em empréstimos à banca a única ideia de gestores que, época após época, constroem apenas mais um amontoado de ilusões. Ambições aparentemente mais comedidas mas que ganham dimensão porque, como ressalva Leonardo Jardim, mesmo sem uma plena candidatura ao título, «a ambição é total».

Convicção de quem, em torno das tácticas, procura cimentar três pilares essenciais à equipa: «o compromisso de lutar em cada jogo, ser solidários e apresentar melhor futebol possível». Três simples ideias-chave que, difundidas e aplicadas nos quatro cantos do mundo, tornariam o futebol um espaço público muito mais respirável.

Se são suficientes para novas aspirações? Os conceitos estão lá e os resultados também, mas essa é apenas parte do caminho e é preciso continuar a andar: «Jogar bem, lançar jogadores e fazer o Sporting crescer».