manuelfernandes2

Mais respeito, se faz favor!

por 9 de Setembro de 2013Os textos do Damas0 Comentários

Ontem, no programa “Play-off”, da SIC Notícias, Manuel Fernandes, pela primeira vez, revelou publicamente as razões e os motivos que o conduziram à saída do clube de Alvalade.  Manuel Fernandes revelou ter recusado passar de 20 mil para 1500 euros mensais. Apesar da vontade demonstrada em reduzir 50 por cento do seu salário, por estes números o presidente Bruno de Carvalho avisou desde logo que não haveria conversa. Primeiro através de Virgílio, depois através de Augusto Inácio, Manuel Fernandes fez passar a mensagem que gostava de continuar, porém os 1500 euros não seriam suficientes para continuar naquela que é a sua casa. Manuel Fernandes, esticou um pouco a corda, recusou os valores apresentados pela nova direcção e com um "Vejam lá quanto me podem oferecer", a corda partiu. Dois dias depois, o seu nome constava da lista do despedimento colectivo.

Manuel Fernandes, sente-se magoado e com razão. Ao Sporting e como jogador, ofereceu este mundo e o outro. Ao lado de lendas como Peyroteo, Damas e Yazalde, o nome do eterno avançado leonino também faz parte da história e da glória do clube. É bom recordar e informar os mais novos, que o nome Manuel Fernandes se confunde com Sporting. Chegou a Alvalade em 1975, cumprindo o seu sonho e a premonição da sua mãe. Em doze anos, fez 586 jogos de leão ao peito, muitos deles como capitão, marcou 342 golos e ainda hoje é o terceiro melhor marcador e o terceiro jogador que mais vezes vestiu a camisola verde e branca nesta história que conta já com 107 anos.

Quando afirmo que Manuel Fernandes tem razão em sentir-se magoado, não quero com isto dizer que estou de acordo por não ter aceitado receber os 1500 euros, até porque considero estes valores normalíssimos tendo em conta a função que ia desempenhar. Digo antes, que consigo perceber perfeitamente que uma lenda viva do nosso clube, fique triste por não ser respeitado nem dignificado pelos Sportinguistas. As críticas de que é alvo, não têm qualquer tipo de fundamento. É preciso respeito quando de fala de um símbolo do Sporting e Manuel Fernandes é um dos grandes símbolos do Sporting Clube de Portugal.

«O "Manel"? Já não se fazem avançados como ele»; este é o primeiro comentário do meu pai que logo de seguida, de forma entusiasta, se recorda de um golo frente à União de Leiria que valeu o título em 1979/ 1980 e como não podia deixar de ser, dos quatro golos no famoso 7-1. Na minha infância cresci com os nomes de Damas e Manuel Fernandes como pano de fundo das maravilhosas histórias «verde e brancas» que o meu pai partilhava comigo e ainda hoje consigo ver o orgulho estampado no rosto de um Sportinguista de 60 anos quando prenuncia o nome de alguns dos ídolos da sua geração.

O melhor mesmo, é deixar passar este tipo de atitudes e faltas de respeito. Por razões diferentes é certo, mas este tipo de casos, só me relembram Iordanov e Pedro Barbosa. Casos de jogadores, que na flor da minha adolescência, tive o discernimento de perceber que apesar de mal tratados, eram dois símbolos do Sporting, pelo menos do meu Sporting.