Rui

O Super, não é o Santo.

por 14 de Agosto de 2013Os textos do Damas0 Comentários

Muito se tem especulado e é mesmo um cenário que se afigura cada vez mais real. Rui Patrício, é o principal alvo por parte de alguns multimilionários europeus que facilmente apresentam uma proposta de 15 milhões pelo número 1 da baliza leonina. Sobre esta eventual saída, ainda não me sinto capacitado, nem preparado para escrever nada até porque, não há no Sporting, nem em Portugal, nenhum guarda-redes capaz de superar as qualidades do marrazense.

Entretanto, num contexto hipotético, se Rui Patrício deixar o Sporting, estará o Super Boeck preparado para assumir a titularidade da baliza verde e branca?

O legado que terá que assumir é um fardo pesado para carregar. Boeck tem sido um profissional exemplar e um substituto de qualidade. Exactamente isso, um substituto. Marcelo quer mais oportunidades e está no seu direito, porém, essas mesmas oportunidades podem, se o mister assim o entender, ser dadas nos jogos da Taça da Liga ou mesmo na Taça de Portugal. Se mesmo assim é pouco, que me desculpem os defensores do Super Boeck, mas enquanto Rui Patrício estiver no Sporting, não existe quem lhe consiga roubar o lugar que neste momento é seu por mérito, trabalho e direito. 


Boeck é um jogador que sente o clube, que representa a força e a garra de um leão, contudo, fico reticente e de alguma maneira apreensivo se tiver que assumir a posição durante toda a época. Sei que as qualidades do guarda-redes brasileiro são inegáveis, sei também que a maneira como nos transmite a paixão e orgulho que sente em vestir a verde e branca é motivo mais que suficiente para ser considerado um dos nossos, mas substituir Rui Patrício não é neste momento uma tarefa nada fácil e muito menos lisonjeira

Com Rui Patrício a baliza fica mais pequena, os avançados vacilam perante a sua presença e isso apesar das enumeras capacidades que Marcelo tem, faz toda a diferença numa equipa. Um guarda-redes seguro, com experiência e qualidade irá acrescentar muito mais a uma equipa que tem imensa miudagem e – obrigatoriamente – o terceiro lugar no horizonte.

Tudo isto, ainda é um cenário hipotético. Agora na primeira jornada, o titular será o Super Boeck mas perdoem-me a franqueza, o guardião brasileiro não dará a mesma segurança, nem a mesma imponência à baliza leonina como um tal de São Patrício. 

Ainda assim, como sempre e em tudo, os 11 que dia 18 de Agosto, jogarem, serão os meus 11 e os melhores do mundo.


Sporting Sempre.