dinis

A entrevista.

por 15 de Agosto de 2013Os textos do Damas0 Comentários


Numa cidade em que se privilegia o bom gosto, é natural que a esmagadora maiora da população seja Sportinguista. Também aqui na cidade do Lis, existe um riquíssimo património Sportinguista e a bandeira desse património é o magnifico museu do Sporting clube de Portugal, que está logo ali ao lado do mais bonito castelo de Portugal. Posso-vos dizer que envolver a beleza da minha cidade e a estrondosa obra de orgulho leonino desenvolvida pelo dedicado Sócio, Bernardes Dinis, é algo tremendamente fascinante.


Depois de ter surgido a ideia, era agora tempo de meter «mãos à obra». Numa segunda-feira solarenga, eu, juntamente com o meu "cameraman", dirigimo-nos até ao museu do Sporting Clube de Portugal na cidade de Leiria. Cordialmente recebido como é hábito naquela casa, Bernardes Dinis conversou comigo durante uma manhã inteira. Ali, ouvi histórias fascinantes, relembrei-me de momentos marcantes na história do clube e apercebi-me, não é que não soubesse, que o Sporting é de facto gigante. É de facto muito maior do que imaginamos. Enfim... Ali estava eu. Fixado, deslumbrado e totalmente encantado, tal e qual como quando era um puto e ficava hipnotizado a ver as histórias do Egas e do Becas na Rua Sésamo. 

Desde o dia em que decidi entrevistar um homem que sozinho conseguiu criar um espaço que me deixa atónico, baseando-se apenas no amor, no carinho e na paixão, posso afirmar que fiquei ainda mais Sportinguista. Conviver com alguém que respira Sporting é sempre único e extraordinário. Este espaço tem algo de mágico e especial. Estar ali, fez-me sentir orgulhoso, estar ali, foi como levar uma injecção de Sportinguismo que por vezes necessito para alimentar esta minha doença saudável e da qual muito me orgulho.  


O que começou por ser uma colecção pessoal de recordações sportinguistas num guarda-fatos, depois numa marquise, passando para uma garagem, hoje transformou-se num espaço de enorme valor e orgulho para toda a nação Sportinguista. No seu vasto espólio, existem posters, troféus, camisolas, casacos, cachecóis, porta-chaves, carteiras, isqueiros, gravatas, camisas, bolas e sobretudo muita riqueza histórica e uma desmedida dedicação e devoção ao Sporting Clube de Portugal.

Foi um privilégio para As Redes do Damas, poder conversar à mesa com Bernardes Dinis. Um homem que criou para si um mundo pintado a verde e branco e que hoje, é património do Sporting, fazendo com que no mundo, apenas o nosso clube tenha dois museus oficiais.

Obrigado, Bernardes Dinis. Saudações Leoninas!


Sporting Sempre

Nota: 
Todas as visitas são guiadas e gratuitas, com os seguintes horários:
 De 2ª Feira a Sábado, das 10h às 18h 
 Domingos e Feriados, das 13h30 às 18h