codea1

Vergonha disto

por 18 de Julho de 2013Os textos do Damas0 Comentários

O Sporting Clube de Portugal seguiu por um caminho diferente do qual tinha rumado durante muitos anos após o resultado das eleições. Para além da crise financeira, tantas vezes mencionada, de uma equipa de futebol profissional totalmente destroçada e de uma falange de adeptos que tenta manter a chama sempre bem acesa, muitas vezes com pouco sucesso, Bruno de Carvalho vem trilhando um caminho que prima mais pela segurança do que pelo bem parecer.

Mas a sombra do passado permanece e irá continuar a lembrar que não será fácil afastar os últimos anos de devaneios financeiros e institucionais. Na verdade, a última direção, liderada por Godinho Lopes mas com a pessoa de Paulo Pereira Cristóvão como protagonista, teve, no meio de incontáveis pontos negativos, o caso Cardinal seguramente como o mais desprezível.

Durante anos o nosso clube permaneceu longe da ribalta dos assuntos jurídicos, ao contrário dos nossos principais rivais, mas a ação de Pereira Cristóvão, a mando ou não do anterior elenco diretivo, que alegadamente depositou valores monetários na conta bancária de um árbitro assistente com o objetivo de lançar uma emboscada sobre o próprio e o Marítimo, simplesmente não merece adjetivos nem qualquer outro tipo de palavra.

O nosso Sporting tem de permanecer um clube isento, sem qualquer tipo de ligações a outras dimensões que possa poluir o seu real desígnio de clube desportivo. Assim, mantendo-se uma instituição impoluta, evitar-se-á que se volte a assistir a uma estupidez, sem qualquer outro qualificativo, que possa levar a uma multa de até dois mil euros. O panorama desportivo poderá também, decorrendo do que se apurar no processo cívil, ser alvo de alterações que façam o nosso clube ser prejudicado, agora pelas instâncias federativas, pela ação de uma personalidade que nunca deveria ter sido sócia do Sporting Clube de Portugal, quanto mais membro de uma direção.

Uma ultima nota para Futre: Bruma e seus comparsas não têm culpa? Estará mais tranquilo no Porto? Sente-se bem ao qualificar-se como sportinguista depois de afirmar tais coisas? O que vale é que o senhor não é um Sportinguista (de letra maiúscula), mas sim um sportinguista (de letra minúscula), sem desígnio de servir o clube que também tanto lhe deu sem receber nada em troca. Aqui não há nada para si Futre, regresse ao Porto. Debaixo da asa de Pinto da Costa estará seguramente em casa.