codea

Um Balanço

por 31 de Julho de 2013Os textos do Damas0 Comentários

A entrevista que Bruno de Carvalho concedeu na passada semana ao site do Sporting Clube de Portugal configura, mais do que um balanço do mandato efetuado até ao momento, um balanço do defeso leonino e do que os adeptos sportinguistas poderão esperar até ao início da Liga.


Bem definido ficou o primeiro ponto. Rui Patrício, como principal ativo do plantel leonino, pode sair, ainda que seja segundo as condições estabelecidas pelo Sporting Clube de Portugal. Muitos se escandalizaram quando Bruno de Carvalho rejeitou a proposta de dez milhões de euros vinda do Mónaco. Mas a verdade é que, tal como disse Bruno de Carvalho, “com certeza que o Mónaco, com o desejo de construir uma equipa com os melhores, terá isso em atenção e fará uma proposta mais condizente com o valor do jogador.” Isto representa uma mudança que todos nós desejávamos há muito, a passagem de um ponto de negociação sem qualquer tipo de base, para um tipo mais exigente onde nós, Sporting Clube de Portugal, como clube de origem, esteja sempre por cima da negociação propriamente dita.

Na análise feita ao estágio agora findo no Canadá, Bruno de Carvalho enaltece o bom ambiente presente no plantel e equipa técnica bem como a vontade de vencer e no espírito de vitória presente nos jogadores, muitos deles ainda jovens. Ainda realça o facto de se ter podido dar uma alegria aos sportinguistas daquela zona do globo, não habituados à presença das camisolas verde e brancas que exultaram com os nossos leões.

Os jogadores que chegaram mereceram uma palavra especial e distinta, com Bruno de Carvalho a descrevê-los um por um, o que não deixa de ser uma surpresa, até para perceber o quão perto Bruno de Carvalho está do relvado.     Voltou-se a reforçar a construção do plantel não como A e B, mas sim como um todo, funcionando a chamada equipa “B” como auxílio da equipa principal. Quanto ao plantel, este não estará fechado, havendo elementos sob acompanhamento do Sporting, após devido aval do técnico Leonardo Jardim.

Virando para assuntos institucionais, Bruno de Carvalho enaltece o apoio maciço dado á reestruturação na Assembleia Geral da SAD, o que permite avançar com as medidas, mas com uma maior responsabilidade e clareza. Os acionistas, que anteriormente eram em número mais reduzido, disseram presente e apoiaram as medidas preconizadas pela direção, resultando numa unificação de ação, entre clube e SAD, que todos sabemos ser essencial para um bom futuro leonino.

Por último, olhando para o que tem sido o mandato, podem-se definir três pontos que, não estando totalmente fechados, estão bem perto disso: a reestruturação do pessoal, dos parceiros financeiros e a renovação do plantel. Não se isentando de erros, cometidos certamente por em tão pouco tempo ter sido necessário avançar em muitos campos, a verdade é que as coisas boas têm suplantado as más.

A verdade é que, sendo o tempo bastante curto para criar soluções novas, a hora de retirar ilações e fazer análises mais profundas está a chegar. Com o começo da Liga, as exibições e resultados da equipa principal serão muito importantes para aferir o que se poderá esperar para esta temporada. Oxalá sejam onze leões verdadeiros a entrar em todos os jogos, levando a que o campo desportivo siga no mesmo caminho que os campos financeiro e institucional que o mandato de Bruno de Carvalho tem comandado.