joao-mario

Devagar, devagarinho

por 17 de Julho de 2013O Sporting lá fora0 Comentários

Em primeiro lugar, a renovação de João Mário e Ricardo Esgaio, foi uma excelente notícia. Numa altura conturbada para “alguns” jovens da academia, estes dois leões demonstram muita vontade em triunfar no clube que os fez crescer e com o qual ainda estão em dívida. No caso de João Mário, sendo este um jogador a quem eu vislumbro um futuro radiante no meio campo leonino, trata-se de uma mais-valia. É um jogador com um potencial tremendo e que já vai dando mostras de querer assumir um lugar entre os mais dotados desta geração made in Alcochete. Não descurando Ricardo Esgaio, que também se trata de um bom jogador. Polivalente, muito certinho e com atitude, contudo, penso que ainda precisa de mais tempo para amadurecer como jogador. Ainda assim, uma excelente notícia.

Agora seguem-se mais dois casos que espelham bem a dura realidade que se vive em Alvalade. Depois de Gelson e Miguel Lopes, mais recentemente foi a vez de Schaars e Arias, deixarem o Sporting com destino a Eindhoven. O vice-campeão holandês, adquiriu dois jogadores que constavam da lista de dispensáveis/transferíveis face aos elevados salários que auferiam. Nestes quatro jogadores que o Sporting vendeu/dispensou, o clube poupa, imagine-se, cerca de 4 milhões.

Falando concretamente do médio holandês, é um jogador que embora não deixe uma saudade irreparável, não deixou de ser um jogador que pessoalmente apreciei bastante. Com uma personalidade forte e com um perfil de líder, Schaars, não fossem as lesões teria tudo para se tornar o barómetro da equipa. Tendo em conta que o contrato acabava no fim desta época, que as lesões teimavam em não o largar e que não se trata de um jogador a caminhar para novo, é uma boa solução para ambas as partes.

 
Em relação ao colombiano, aqui torço o nariz... É verdade que o facto de ter passado pela mão de tantos treinadores e não ter sido aproveitado, pode querer dizer alguma coisa. Porém, à primeira vista, tendo em conta a sua margem de progressão e a falta de defesas direitos no nosso plantel, não me parece que tenha sido a melhor opção. Neste caso torna-se complicado opinar firmemente quando não se sabem os valores que envolveram a transferência de Arias para o PSV.

Devagar, devagarinho, o Sporting vai preparando a nova época. O caminho ainda é longo e o tempo começa a escassear. Faltam resolver os casos críticos, a nível salarial, de Pranjic, Onyewu, Bojinov, Jeffren e Boulahrouz. Falta também, no mínimo, mais um ponta de lança, um defesa direito e um número 10.

Para concluir, e a falar de bola a sério, hoje, no Canadá, há jogo de treino frente ao Kitchners. Trata-se apenas e só, de um particular que servirá para Leonardo Jardim, tirar as primeiras elações, para os jogadores ganharem ritmo e para todos os imigrantes residentes no Canadá, matarem um pouco de saudades de Portugal. E nada melhor que um - e o único - clube de Portugal, para nos aproximar das nossas raízes.