sporting

Apresentação com nota positiva

por 30 de Julho de 2013À saída do estádio0 Comentários

No jogo de apresentação aos sócios e adeptos, o Sporting venceu e convenceu. Frente a uma Real Sociedad que irá disputar a pré-eliminatória de acesso à Champions, este conjunto de jovens leõezinhos, domesticados por Leonardo Jardim, mostraram-se muito disciplinados, extremamente organizados e sem medos nem rodeios, entraram de garras afiadas deixando em campo uma atitude de bravura e vontade que só está ao alcance de quem ainda tem o sangue na guelra e muita vontade de triunfar de leão ao peito.

Honestamente, nesta altura de pré-época não esperava uma exibição tão bem conseguida. Em primeiro lugar, o destaque vai para a solidariedade, para a entrega e para a atitude que todos, sem excepção, colocaram em campo. Com um Sporting ainda em fase embrionária, foi um regalo para os olhos aquilo a que se assistiu em Alvalade. Os jogadores não viraram em momento algum a cara à luta e estiveram sempre muito equilibrados. Defensivamente, e aqui é notória a mão de Leonardo Jardim, o Sporting foi uma equipa muito coesa e arrumada. Ofensivamente, também bem ao estilo do treinador leonino, a equipa baseou-se num futebol de processos simples e eficazes. Foi este o futebol, ainda longe do empolgante, a que os quase 30 mil adeptos tiveram o privilégio de assistir, com os «verdes e brancos» a “colocarem no bolso” o 4.º classificado do campeonato espanhol ou, se preferirem, a equipa sensação da última edição da La Liga.
Passando agora para o plano individual, quero destacar três jogadores. Primeiro, Rui Patrício. É impressionante a imponência do número 1 leonino. Sempre muito confiante, com intervenções seguríssimas em lances de perigo iminente e ainda nos consegue presentear com defensas para a fotografia. Que classe. Que maravilha é ver Rui Patrício na baliza do Sporting.
Segundo, William Carvalho. Embora tivesse conhecimento de que era “mais um” dos jogadores que andava emprestado pela Bélgica, estava longe de imaginar que poderia estar aqui um coelho tirado da cartola por parte de Leonardo Jardim. Um médio com uma estampa física impressionante, com um posicionamento irrepreensível e que ajudou, e muito, no equilíbrio da equipa. Sem medo de se assumir e longe de estar pressionado por se apresentar a 30 mil pessoas, William jogou, correu, fintou, chutou, cortou, assistiu, cabeceou e só não fez mais porquem, depois dos 90 minutos – para alguns -, o jogo acaba. Ainda assim fiquei com a ideia de que está ali pulmão para 200 minutos!
Terceiro, e não menos importante, Adrien. Não o da época passada, mas aquele que de branco e preto conseguiu ser um dos melhores médios box-to-box a actuar na primeira liga. Foi sempre muito dinâmico e trabalhador, orientou os processos ofensivos da equipa, pautou o jogo e, na hora de defender, numa espécie de simbiose perfeita com o seu colega de meio-campo, construiu uma primeira muralha no processo defensivo, quase impossível de derrubar. Adrien não foi, como tenho lido, “uma agradável surpresa”, foi sim um reencontro perfeito entre jogador e o talentoso futebol que é capaz de produzir. Se por palavras não conseguem perceber o que vos digo, vejam isto: http://www.youtube.com/watch?v=IDGFXU1vDkg&feature=youtu.be
Para terminar, dois pequenos detalhes, mas que certamente farão toda a diferença no futuro. Um deles: a marcação das bolas paradas. Num lance de laboratório, o Sporting fabricou o primeiro golo e nesta pré-época não se trata de um caso único. O outro: as “claques” todas juntas na curva sul. Os milhares que cantaram por amor ao Sporting conseguiram criar um ambiente verdadeiramente arrepiante.

Pois bem, apesar da excelente imagem deixada pelos nossos leões, é importante não esquecer que foi apenas mais um teste, mais um jogo que serviu para assimilar conceitos, processos, mecanismos, ideias, criar rotinas e ganhar ritmo. Foi apenas mais um teste, no qual o Sporting passou com nota bastante positiva. Contudo, até ao exame final ainda é preciso, de maneira humilde e trabalhadora, continuar à procura de mais e melhor, apenas e só, porque somos o Sporting Clube de Portugal.