bruma

Quando o juízo bate à porta

por 17 de Junho de 2013Os textos do Damas0 Comentários

«Ligação a Pini Zahavi foi um erro», «Sporting é o clube que eu amo», e ainda «Os adeptos podem ficar descansados, nunca trairei o Sporting, não abandonarei o clube assim. Foi aqui que cresci, ajudaram-me muito, pelo que só tenho de agradecer ao Sporting. Estou muito satisfeito e acredito que vou renovar. Que isto fique bem claro. Nunca trairei o Sporting, nunca abandonarei o clube. Tudo o que tenho é graças ao clube e aos adeptos.».


Contínuo a achar que os actos valem mais que as palavras. Todavia, não consigo deixar de ficar extremamente agradado com as entrevistas de Bruma aos jornais desportivos Abola e Record. A jovem pérola da academia, manifesta através das suas palavras que está de corpo e alma no Sporting. O seu discurso a ser honesto e verdadeiro, sinceramente acredito que o seja, revela igualmente que a posição intransigente da direcção leonina nesta guerra com os empresários, tem afinal as suas vantagens. Bruno de Carvalho e Augusto Inácio traçaram uma posição firme e irredutível e este perfil “mandão”, ou autoritário se preferirem, é bem vindo para os lados do leão. Finalmente e de maneira afincada, tem se mostrado que em Alvalade, manda o Sporting.

Voltando à entrevista, o extremo leonino expressa também o desejo de poder continuar a jogar com Tiago Ilori. Esperamos que quando acabar o compromisso ao serviço da selecção, Bruma regresse ao Sporting e coloque um ponto final nesta conversa da renovação, e se possivel, que isso sirva de exemplo para que Tiago Ilori siga os mesmos passos do seu companheiro de equipa. 

Nesta altura, juízo, bom senso e humildade, são as bases para completarem o seu processo de formação enquanto homens e jogadores. Por agora, devem jogar orgulhosamente de leão ao peito e com a consciência de serem uns afortunados por poderem fazer aquilo que muitos de nós um dia sonhou fazer: representar o Sporting Clube de Portugal.

Sporting Sempre.