capa-sporting-post-meu

O dia D. O dia 23.

por 23 de Março de 2013Hoje é dia de Sporting0 Comentários

Chegou a nossa hora.

Está tudo a postos para as eleições e agora é tempo de votar. Depois das ideias, dos debates e dos projectos, hoje é o dia que o nosso clube mais precisa de nós. O cenário está preparado, os candidatos estão perfilados e os sócios preparam-se para decidir quem será o 42º presidente do Sporting clube de Portugal.

Em primeiro lugar, considero esta campanha eleitoral fraca e desequilibrada. Três candidatos de opiniões e ideias diferentes, como é óbvio, mas com um deles claramente outsider e sem postura, nem carisma para ser presidente do Sporting clube de Portugal. Começo já por aqui. Um candidato com planos e ideias, que a meu ver não se enquadram na realidade do Sporting e em maior parte dos casos, ideias essas, demasiado populistas. Nunca conseguiu afastar a ideia inicial, de que se tratava apenas de uma carta fora do baralho e com o tempo, a campanha do candidato chegou a roçar o ridículo. Carlos Severino, não tem o perfil, nem a estrutura necessária para assumir o comando do clube. Com o devido respeito e não metendo de maneira alguma em causa o seu Sportinguismo, nem colocando em causa as suas boas intenções, como diz um famoso escritor americano: ” A vontade não basta para fazer o escritor. Atrás do livro deve haver O homem.” Não são necessárias mais palavras para este candidato.

Depois segue-se José Couceiro, perdão. José Peyroteo Couceiro. Confesso que sou admirador da postura de Couceiro. É um homem sereno, inteligente e bom comunicador, o seu único problema foi não se ter preparado para estas andanças. É conhecedor de diversas áreas do futebol e tem experiência, são factos. É verdade e de conhecimento público que conta com mais insucessos do que sucessos na sua carreira dos sete ofícios, mas isso agora são apenas detalhes. Couceiro, carregou sempre consigo o fardo de ser considerado o candidato da continuidade. O problema aqui, é que realmente se trata um pouco disso. José Couceiro, tem na sua lista elementos ligados ao passado ruinoso do clube, conta com apoios de pessoas duvidosas, de empresas com pouca credibilidade e para piorar a sua posição, foi totalmente perceptível que a campanha foi preparada em cima do joelho. Os debates não jogaram a seu favor.

Por último e apesar de ser o meu candidato, a campanha de Bruno de Carvalho, foi esmagadoramente superior face à dos outros candidatos. Alterou um pouco a imagem “abetalhada” e arrogante, e conseguiu desfazer-se do rótulo de “aventureiro”. O candidato da lista B, foi o único que preparou uma campanha eleitoral com cabeça, tronco e membros. Mostrou grande profissionalismo nos Media e nas redes sociais, mostrou estar bem acompanhado – João Duarte – e demonstrou ter a capacidade de criar uma ruptura total com um passado, que tão agressivamente tem colocado o Sporting em situações e posições, que em nada se coadunam com a grandiosa história do clube.
Mesmo depois de sucessivas histórias, calunias e difamações, – todas sem provas e outras sem fundamento – Bruno de Carvalho, continuou firme e realista, sem nunca entrar em guerrilhas e a demonstrar que o objectivo passa por defender um ideal e uma estrutura que trabalhe em conjunto por uma só causa.

Acredito convictamente que o culto da “exigência máxima” será colocado em prática. Acredito que Inácio e Virgílio são opções validas, acredito no seu Sportinguismo, acredito na sua capacidade de liderança e gosto do seu discurso pragmático. Gosto de saber que a ideia do pavilhão será uma realidade, gosto de saber que nenhuma modalidade irá desaparecer bem como surgirão outras. 
Acredito que Bruno de Carvalho, tem o perfil que se exige, tem a raça necessária e o sentimento de amor que é obrigatório para ser presidente deste grande clube. Acredito na sua capacidade de motivar todos os elementos ligados ao Sporting, acredito que Bruno de Carvalho, é sinónimo de mudança e neste momento, é crucial, essencial, inevitável, vital, imperioso que exista uma mudança e uma ruptura para bem do futuro do clube de todos nós. É novo? Sim, é. Mas João Rocha, – o melhor – tornou-se presidente do clube com 43 anos. Sem falsas promessas e sem demagogia barata, o candidato da Lista B, mostrou estar bem preparado para assumir a presidência do Sporting Clube de Portugal e tornar-se assim o 42º presidente do clube. Não sei se o meu candidato é a pessoa certa, para o lugar certo, mas eu vou acreditar que é. Que será com ele que o Sporting se vai reerguer. 

Pois bem, independentemente do vencedor, deixo o último parágrafo para dizer o que quero para o futuro do Sporting. Quero que nos devolvam rapidamente, aquele Sporting que me deixa com os olhos embaciados nas vitórias, aquele que me enche de orgulho, aquele que me faz tremer que nem “varas verdes” antes dos jogos, aquele que faz de mim um homem feliz. Quero aquele que nos faz abraçar um desconhecido, quero aquele que me deixa sem voz, quero aquele com quem aprendi a crescer. Quero aquele que me faz cantar todas as musicas nos dias dos jogos, aquele que me faz gritar bem alto, aquele que me deixa arrepiado só de ouvir os cânticos no YouTube. Quero aquele Sporting respeitado, com identidade e com mística. Quero aquele que faz remontadas históricas frente aos ingleses, aquele que marca golos no último minuto do prolongamento, aquele que bate um Inter campeão, aquele que elimina os milionários da Europa, aquele que vencia taças de Portugal com pontapés de moinho e supertaças com pontapés traidores. Quero aquele que pintou Portugal de verde e branco, quero aquele Sporting, pelo qual todos nós nos apaixonamos. Quero, e quero muito.


Nota final: Como quero uma data de coisas, quero ainda deixar uma mensagem aos adeptos do Sporting, utilizando o blog “As Rede do Damas”, como um exemplo de respeito. Nestes últimos dias, foram publicados três textos de opinião e cada um deles com visões e ideias diferentes mas com um ideal comum, o Sporting clube de Portugal. Quero com isto dizer, que apesar das opiniões de cada um, as palavras união e respeito, hoje dia 23 de Março de 2013, são os pilares para um acto eleitoral digno de um clube tão grande como os maiores da Europa. Ganhe o meu candidato ou não, amanhã o presidente do Sporting Clube de Portugal, será o meu presidente.


Sporting Sempre.