LEO_FE-1

Basta!

por 1 de Fevereiro de 2013Os textos do Damas0 Comentários

O dia 31 de Janeiro ficará para sempre marcado para todos os sportinguistas. Se dúvidas existissem da qualidade intelectual de certos adeptos do nosso clube, hoje na conferência de imprensa, essas dúvidas ficaram dissipadas.

Como todos, resta-me repudiar aquelas atitudes que, não sendo irrefletidas, marcam todo um padrão de comportamento que tem vindo a surgir dentro do Sporting e que urge afastar de uma vez por todas. A intimidação, o desafio e falta de respeito para com pessoas que também partilham da mesma paixão é das atitudes mais baixas que qualquer ser humano pode ter.
 Porém, todo este comportamento teve um alvo específico, a Mesa da Assembleia Geral (MAG), na pessoa do seu Presidente em exercício, Daniel Sampaio. A marcação da Assembleia Geral Extraordinária (AGE) parece ter criado desconforto não apenas no Conselho Diretivo, como também em certas franjas de adeptos sportinguistas. Começando nas providências cautelares impostas por diversos “notáveis” que continuam, inexplicavelmente, a defender o indefensável e acabando num estúpido arremesso de ovos a um órgão que está lá efetivamente para cumprir e fazer com que todos cumpram os estatutos definidos pelo clube.
Todo este clima de medo que, instigado por elementos que parecem ter algo a perder com a destituição do Conselho Diretivo, faz com que a AGE de 9 de Fevereiro seja ainda mais importante na definição do futuro do nosso clube. Assim, perfilam-se dois caminhos, e não falarei de candidatos e eventuais projetos que possam já existir. Falo sim da continuação ou não desta caminhada, se é que se possa chamar isso, que, para muitos de nós, nos parece levar apenas ao abismo, à tão falada “belenização”. O outro diz respeito á total rutura com este paradigma que, desde meados dos anos 90, tem levado o nosso clube á situação a que está.
E essa rutura terá mesmo de ser feita e, parece a cada vez mais sportinguistas, que será mesmo efetivada no dia 9 de Fevereiro. Urge limpar o nosso clube de toda e qualquer atitude que se assemelhe com este clima de medo e tensão em que o nosso clube está mergulhado. Como tal, apelo a todos os sócios para que não liguem ao discurso do “nós ou o caos” e tenho esperança que se permita a construção de um novo projeto, virado principalmente para todos os adeptos e não apenas para os credores, para que o Sporting volte a ser respeitado como sempre foi e onde, principalmente, não haja oportunidade de voltar a acontecer atitudes como as de ontem, que deveriam ser severamente punidas e erradicadas a bem da paixão de todos nós.
PS: A atuação deste Conselho Diretivo e o seu Presidente nesta reabertura de mercado que agora findou é a prova cabal da falta de capacidade das pessoas que estão dentro do Sporting e que têm o dever de o defender “contra tudo e contra todos”.

 Ass:  Sporting não de Lisboa, mas de Portugal.