post-2

Outra Voz

por 19 de Dezembro de 2012À saída do estádio, Hoje é a tua vez0 Comentários

Este é um blogue de Sportinguistas e para Sportinguistas, de tal forma que continuamos a dar “voz” a quem nos tem acompanhado. Na rubrica “Hoje é a tua vez”, deixamos o texto de João Fonseca.

“Senhor Presidente Godinho Lopes,

Não lhe vou falar em dinheiro ou investidores. Não os tenho, só posso esperar, embora cada vez com menos esperanças, que você os descubra. Nem lhe vou falar desta constante “simpatia” pelo Futebol Clube do Porto. Nem das entregas de “manuais” – como se de uma máquina se tratasse – sobre o Sporting aos jogadores, numa tentativa de exaltar ânimos, fazer ferver o sangue de equipa e treinador. Sim, porque Vercauteren também precisa dar uma vista de olhos nesse tal “manual”. Mas hoje venho falar-lhe de dois valores que embora não sejam exclusivos do Sporting, fazem parte do seu ADN, como você tanto gosta de dizer. Vamos por partes.

PALAVRA – Ter palavra. Ser uma pessoa de palavra. Se diz, faz. Ponto final. 


Então vejamos:

“Com a escolha do treinador [Franky Vercauteren] temos de assumir para onde queremos ir. O Sporting tem que se afirmar naquilo que é bom. E essa área é a formação. Por isso o Sporting foi buscar um treinador bom nessa área. Um treinador que fez parte da formação do Anderlecht e foi campeão três anos.”

Palavras suas. Palavras inteligentes. É precisamente na formação que está o tal ADN do Sporting. Até aqui tudo muito bem. O pior vem agora.

Hoje, dia 19.12.2012, o Sporting foi à Madeira jogar com o Marítimo para a Taça da Liga e, como vem sendo habitual, empata. Não perdeu, é verdade. Mas não o fez por mérito próprio, fê-lo por demérito do Maritimo. Qualquer pessoa, a minha mãe incluída – e olhe que embora a adore, a Sra. minha Mãe percebe zero de futebol – conseguiu ver que era só o Maritimo apertar e lá íamos nós.

Perante tal cenário, vem a incongruência. O Elias, que eu poderia tecer aqui largos comentários a tal jogador, é substituido pelo Pranjic? E então o Adrien?…  
“…Com a escolha do treinador [Franky Vercauteren] temos de assumir para onde queremos ir. O Sporting tem que se afirmar naquilo que é bom. E essa área é a formação…”
E o Boulahrouz é substituido pelo Xandão? E então o Eric Dier? Que por sinal tinha sido um dos melhores em campo contra o Nacional, que é de louvar, apesar da facilidade da questão. “…Por isso o Sporting foi buscar um treinador bom nessa área. Um treinador que fez parte da formação do Anderlecht e foi campeão três anos…”

Sr. Presidente, bem sabemos que é Vercauteren, o tal que “tem o ADN do Sporting” como você diz, que faz a escolhas. Mas acima dele há uma pessoa. Você, Sr. Presidente! Portanto em vez de lhe dar um “manual”, grite-lhe ao ouvido sobre o que é o Sporting. O que leva ao segundo valor. CORAGEM. É preciso coragem para lá das palavras. Não chega dizer que “agora assumo um regime presidencialista “. Tem de o ser. Se alguém não está a remar para o seu lado trate de o pôr na ordem. 

Coragem e Palavra são de facto dois valores que fazem parte de “ser Sporting”. A mim, aliás a nós, parece-nos que lhe faltam ambos. Em excesso.”

João Fonseca.