post5

Godinho mudou a cassete

por 17 de Dezembro de 2012Hoje é dia de Sporting0 Comentários

E tudo Godinho mudou…


A entrevista de ontem, na RTP-Informação, foi mais um momento em que o presidente do Sporting deixou evidente as suas fragilidades como líder  As constantes alterações de comportamento e de discurso, as sucessivas tentativas de fugir a perguntas concretas e o debitar de um texto pré-estudado, foram mais alguns “pormenores” da débil comunicação do presidente Godinho Flopes.

A bipolarização do discurso de Godinho é deveras impressionante e, ao mesmo tempo, preocupante. Primeiro, Godinho não fala de questões económicas para não preocupar os Sportinguistas, mas, passado alguns minutos, diz que todos os meses o Sporting sê vê aflito para arranjar dinheiro para os ordenados. Primeiro, Izmailov é um belíssimo jogador do plantel, mas, quando confrontado com a possível saída do jogador para o Porto, Godinho diz que prefere não comentar esse tema.

Primeiro, lutávamos para o acesso à Champions, agora o Sporting não pode ficar de fora da Europa. Primeiro, Godinho era o responsável pela pasta de futebol, agora Paulo Farinha Alves tem feito um grande trabalho nos assuntos ligados ao futebol do Sporting. Primeiro, Vercauteren era o treinador do Sporting, agora é Jesualdo Ferreira o treinador dos treinadores. Antigamente, os jogadores sentiam a história do Sporting, agora Godinho Lopes distribui manuais de Sportinguismo. Primeiro, diz saber qual é a solução para o problema, depois diz que os “médicos” – presumo que tenha sido a palavra para adeptos – do Sporting, que sabem qual a origem do problema, não foram ao seu gabinete para levar os medicamentos.

Godinho Lopes está longe da união e do consenso. Godinho Lopes está cada vez mais sozinho, vão-lhe restando os Ruis Oliveiras e Costas deste clube. Godinho Lopes não é, neste momento, o presidente do Sporting para mais de 80% da massa adepta do Sporting, e isso é notório.                         


Antes de falar de Jesualdo Ferreira, um pequeno aparte da entrevista de ontem. O Sporting Clube de Portugal devia proibir R.O.C de falar em público sobre o Sporting. É um homem que, ontem, e não só, parece estar longe do seu estado mais sóbrio e lúcido. O senhor que diz “Chapel”, “Scheers” e os dois sul africanos ” Rubio e Carrillo”, em nada ajudou ontem o presidente Godinho, bem como retirou a possível credibilidade do seu discurso. Tratou Godinho na primeira pessoa, falou durante minutos sem dizer uma unica frase com critério,  colocou questões completamente absurdas e teve saídas ridículas.


Abordando o tema Jesualdo Ferreira, concordo inteiramente com a sua contratação. Os seus 30 anos de experiência no futebol, nomeadamente no futebol português, será uma vantagem para o trabalho no Sporting. Como manager, será melhor que Couceiro, Futre, ou mesmo Augusto Inácio  O seu currículo atinge o auge com o tri-campeonato ao serviço do Futebol Clube de Porto, mas, a dúvida que paira na minha cabeça, prende-se com o facto de pensar que, no Porto, se calhar até eu era campeão.  De qualquer das maneiras, agrada-me a escolha e o facto de saber que Godinho volta a afastar-se de um tema do qual nada percebe.
Entretanto, a equipa continua na Madeira. Amanhã, frente ao Marítimo, tudo isto não entrará para dentro de campo. Numa competição de pouca relevância, seria a oportunidade ideal para meter o futuro do clube em acção. Jogar com Pedro Mendes, João Mario e Ricardo Esgaio seria, no mínimo, uma tentativa de mudar o que Godinho ainda não mudou.



Ass: Sporting Sempre.