Triste, muito triste!

por 5 de Outubro de 2012À saída do estádio0 Comentários

A minha alma leonina está maltratada e magoada.
Mas, perder ontem com o Videoton não modifica nada o facto essencial. Apesar de vergonhoso e humilhante, a verdade é que não temos treinador. Esta equipa do Sporting, que pertence em percentagens desiguais a empresários, não respeita o clube. Somos dirigidos por gente que mente, que tem medo de largar o lugar e que até deixou uma claque escolher o treinador. Ainda não rebentámos porque somos muitos, mesmo muitos a gostar disto. Temos de parar, pensar e perceber realmente o que tem de mudar. Sá Pinto pode sair, mas esta direcção terá de seguir o mesmo destino

Vergonha inenarrável. Os sucessivos tiros de canhão no pé de Sá Pinto revelam que está perdido, desorientado, desamparado e mal aconselhado. A preparação deste jogo foi simplesmente desastrosa. Em alturas de crise, põem-se os jogadores experientes em campo, tranca-se o meio-campo e joga-se pela certa. Nenhuma equipa aguenta uma revolução por semana.
Sá pinto chegou ao Sporting e estava a fazer um trabalho razoável, digo razoável porque sinto uma enorme empatia por Sá Pinto. De um momento para o outro, só faz disparates: Gelson a titular, Insúa nem joga, Elias, hoje é rei, amanha é escravo, sistemas tácticos mudados com frequência, substituições patéticas, onze inicial sempre alterado. Sá Pinto revelou estar completamente perdido. Equipa mal escalonada, convocatória mal feita, enfim, um rol de erros interminável, mas que acaba por terminar em mais uma humilhação.

Uns falam em dar mais tempo, outros apelidam o Sporting como sendo um cemitério de treinadores, mas a verdade é que muitos deles só enterram o Sporting. Há uma altura em que o treinador deixa de ter condições para continuar. Para Sá Pinto, e com muita pena minha, o tempo foi ontem. Mas foi ele que aceitou dar um passo maior do que a perna. Treinar o Sporting é um presente envenenado. Não sei se pela falta de liderança e rumo do clube, se pelas pressões dos empresários e dos fundos para valorizarem os seus jogadores, se por atraso nos salários. Para se treinar o Sporting Clube de Portugal, tem de se estar preparado para a exigência e para a pressão. Não chega a vertente motivadora de Sá Pinto, seria precisa também a vertente futebolística, e nessa, Sá Pinto ficou aquém das expectativas.

Para Sá Pinto, o meu desejo de que o futuro lhe sorria dentro ou fora do Sporting. Tinha tudo para dar certo, era um dos nossos no banco, mas só isso não chegou.
Como tenho a certeza que fez o melhor que podia e sabia , OBRIGADO SÁ PINTO. Agradeço o empenho e o máximo esforço em nome do Sporting e dos seus adeptos.