sporting-banner

Outra voz

por 23 de Outubro de 2012Hoje é a tua vez0 Comentários

Hoje é a tua vez.

Este é um blogue de Sportinguistas e para Sportinguistas, de tal forma que decidimos dar “voz” a quem nos tem acompanhado. Na rubrica “Hoje é a tua vez”, deixamos o texto de João Pedro Martins, amigo e Sportinguista fervoroso.

«Começa a ser cómico abordar o actual Sporting, uma vez que de real conteúdo pouco existe. Nos dias actuais observamos um paralelismo enorme com o clássico feirante “mais uma voltinha” com o “mais uma derrotazinha”. 

Domingo, para não vacilar, mais um jogo e mais uma derrota. Começa a ser um hábito e nós, um pouco à imagem daquilo que se passa no governo, comemos e calamos. É algo intrínseco à nossa rotina e que tomamos por adquirido. No entanto, o maior facto que posso constatar é que são estas pequenas derrotas que vão destruindo tudo aquilo que tem tornado o Sporting um grande clube, especialmente em espaços temporais tão complicados e penosos como os do presente… 
Ora vejamos, consolidem na vossa ideia que o clube não tem culpa das pessoas que o gerem, contudo, quem sofre com isso é o próprio, uma vez que temos o país em crise, a equipa não mostra um bom futebol, não existe magia, nem alegria, nem entusiasmo, e muito menos choques de electricidade que nos mostrem e que nos façam sentir “Estamos Vivos”. 
Isto, aliado a esta mesma crise que vivemos, vai levar o mundo sportinguista a perguntar-se a si mesmo: “Não tenho dinheiro, o clube está o que está, o melhor é deixar de pagar as quotas pois há malandros a aproveitarem-se disso. Quanto mais ir ao estádio… Para quê?!” 
Para que vou eu gastar o meu dinheiro que arduamente ganho, com todo o meu esforço e com o meu suor, para observar algo entediante ou que vai destruir por momentos a minha alegria. No meu caso concreto, sempre fui muito confiante em relação ao Sporting, mas o tempo tem sido um pouco à imagem da Troika e não ajuda apenas a esquecer… O tempo rouba! Se por outro lado a Troika te tira a vida, o Sporting de hoje tira-te a felicidade. 
Talvez por isso, este ano, não tenho acompanhado tanto (entenda-se ir ao estádio) o futebol como noutros tempos, e não existe nem se pressente um orgulho ferido ou uma vontade de fazer acontecer a revolução que necessitamos urgentemente. 
Pessoalmente, não sou nenhum expert da bola, porém, entende-se que, para gestores de largos anos, estes actuais líderes que encontramos no clube estão a fazer um trabalho ruinoso – um pouco à sombra dos últimos painéis de responsáveis que tivemos, mas a culpa disso também é nossa, fomos nós que os elegemos. Gastamos mais do que aquilo que temos e podemos. 
Se assim é, então ora bem, é melhor ser responsável e fazer uma gestão inteligente que poderá dar frutos no futuro ou gastar milhões de euros em activos que mais parecem ser não activos?
Basta olharem para a equipa e fazer a pergunta mais básica de todas:,afinal quem são os bons jogadores, aqueles que têm classe e têm vindo a escassear no nosso plantel? 
Depois disso, pensem naqueles que consideram que até nem são maus… Então meus caros amigos, afinal o Sporting é o quê?! É um clube de topo ou é um clube mediano?! É um candidato ou já contrata só para o meio da tabela por valores astronómicos e negócios desastrosos só porque é um clube grande?! Realmente dá para tudo… 
Não quero falar em nomes, mas, no final de tudo isto, continuo sem perceber o porquê de tentarem fazer de alguns jogadores aquilo que eles nunca conseguirão ser porque não tem qualidade. Meus amigos, eu também queria ser bodyboarder profissional, mas não sou porque não tenho qualidade para isso.
Vocês não sabem o quanto me desanima ver pessoas que recebem salários chorudos a fazer o que sonharam quando não merecem nem um décimo. Não por má vontade, mas porque não desequilibram nem fazem a diferença…
Bom, é naturalmente óbvio que o meu amor pelo Sporting é a mais pura das histórias de amor que posso viver e o clube está para mim acima de tudo. Aqui vivo a máxima do amor é cego, mas leões, já está na hora de tirarmos estas vendas e ir à luta, lutar pelo que é nosso e que todos nós construímos: um grande clube! 
Perguntem, sejam activos, não se deixem enganar e, acima de tudo, tenham a vossa personalidade, defendam o clube, pois esse é a maior e única vitima de todo este circo!
Nunca duvidem que nos vamos levantar ainda mais fortes, pois nós somos grandes e, como em todas as histórias de amor, também na nossa vamos escrever um final feliz! Viva o SPORTING!»
João Pedro Martins, sócio numero 93661