Cristiano-Ronaldo

Ele é o culpado

por 16 de Outubro de 2012Os textos do Damas0 Comentários

É inequívoco que a direcção do Sporting não tinha plano B quando convidou Sá Pinto a sair. Esta direcção não precisa de cumprir um mandato de três anos para percebermos que se pauta por um amadorismo tremendo. Passam mais de dez dias e as perguntas e dúvidas aparecem desenfreadamente. Será Oceano o nosso próximo "Sá Pinto"? Mais um para queimar? Onde está o treinador estrangeiro? Alguém aceita treinar o Sporting? Onde está o Manuel José? Onde está Guardiola? Onde está o Professor Neca?

Não interessa a lógica das perguntas. Interessa sim, saber que estratégia está esta direcção a utilizar. Interessa saber o porquê de, até ao momento, não ter sido apresentado o futuro treinador do Sporting. Com uma pausa no campeonato, que supostamente daria mais tempo de preparação e de integração do novo técnico com a equipa, não há um nome certo. Volta-se a falhar redondamente. O Sporting, com este senhores no poder, está em modo de auto-destruição.

Começo a pensar que o treinador do Sporting passará pelo nome do que lá está. Perdemos um Leão da casa, um verdadeiro Sportinguista que se perdeu na paupérrima gestão desportiva do clube. Lança-se outro Sportinguista às feras, outro homem que sente o clube e que não consegue recusar tamanho prazer. O resultado, ninguém sabe, mas seguindo a politica evidenciada por esta direcção, num clube que mete água por todos os lados, é natural que um "Oceano" tente controlar as marés.

Nesta casa, o nosso grande Presidente deveria ser expulso. Godinho Lopes é o culpado, é a ele que temos de apontar o dedo. Não só por este mandato, mas por outros negócios estranhos, como por exemplo, a venda dos terrenos do velhinho José de Alvalade, em que o Sporting saiu lesado em mais de 40 milhões de euros. Um homem que era o braço direito do ex-presidente Roquette, o ex-presidente que criou um projecto para matar o Sporting. Enquanto projectos como este tiverem lugar, como se diz na gíria, não vamos sair da cepa torta.

Este mandato leva um ano e meio e, tudo somado, dá isto: um investimento de 30 milhões, dois treinadores e um quarto lugar.
Carlos Freitas ameaça sair; o Presidente da Mesa da Assembleia Geral diz, em directo na televisão, «...Eu não imagino Luiz Felipe Scolari como treinador do Sporting. Como sportinguista seria para mim uma enorme desilusão. Provavelmente, se for esta a decisão, terei que deixar de ser Presidente da Mesa da Assembleia Geral para voltar a ser um comum adepto....»; Paulo Pereira Cristóvão foi convidado/obrigado a sair e Carlos Barbosa demitiu-se por problemas com a direcção. Esta casa, que não é dos segredos, mas sim dos degredos, está de pernas para o ar. Os culpados no Sporting não são o Domingos, o Sá Pinto ou o Oceano.  A culpa desta situação actual do Sporting tem nome: Godinho Lopes.

Resta-nos falar da selecção. Foi um  jogo menos conseguido contra os russos, mas também, quando num onze inicial consta o nome de Rúben Micael, não se pode esperar classe e talento para meter Portugal a jogar com um ritmo elevado e num futebol fluido. Jogou-se contra a selecção russa, mas o seu futebol é o reflexo do seu treinador. Um italiano cansativo, defensivo e à espera de uma batatada. Portugal não ganhou, mas em nada complicou as contas, já que continuamos a depender de nós próprios. Mas com a seguinte notificação: a partir de agora é impossível falhar outra vez.


Hoje, no Dragão, Portugal defronta uma fraca selecção, uma selecção da quarta linha do futebol mundial. Temos a obrigação de ganhar e, certamente, não vamos vacilar. O melhor jogador do mundo cumprirá a sua centésima internacionalização. Será um jogo onde, certamente, Cristiano Ronaldo poderá presentear-se com dois ou três golos. Ele que nem gosta nada disso.