Captura-de-ecra-CC-83-2012-09-03-15.20.51

Dois Obrigados.

por 4 de Setembro de 2012Os textos do Damas0 Comentários

Primeiro “Obrigado”
Ontem, em Alcochete, a grande figura do futebol de formação do Sporting Clube de Portugal foi homenageada. Um Homem que deu muito ao clube – e a Portugal – e que formou “Bolas de Ouro” e tantos talentos de categoria mundial.
Aurélio Pereira é um Homem a quem os sportinguistas têm por obrigação reconhecer o seu enorme valor e agradecer a devoção e o amor ao clube. A Academia, que hoje atinge níveis de excelência, que é uma fábrica a produzir talentos, e uma escola onde o nível futebolístico atinge proporções mundiais, muito se deve ao trabalho de Aurélio Pereira.

Agradecemos de coração, por dar ao Sporting os Ronaldos, Figos, Nanis e Futres. Obrigado por  Hugos Vianas, Velosos e Quaresmas.
No entanto, não conseguiu – mas tenho a certeza que tentou –  formar carácter e personalidade em todos eles. Ainda assim, um obrigado pelos Montinhos, Varelas e Simões.

Um eterno Obrigado a quem, desde 1988, dá ao Sporting Clube de Portugal do melhor que existe no mundo, e isso não tem preço.

Segundo “Obrigado”

«Há coisas que me deixam doido! 
Estou a ver o dia seguinte e estou incrédulo sobre a exposição mediática que fazem do nosso Clube. Para mais, como se não bastassem os ataques dos inimigos, esta vem de quem tem por dever proteger. 
Enquanto os outros se unem em torno de um ideal, de um Clube, ou, se quiserem, do tão apregoado amor, os nossos ex-dirigentes, ex-capitães, ex-jogadores, ex-qualquer coisa, decidem-se sempre pela via da qual advém mais protagonismo…a critica negativa.
Tenham juízo e se o quiserem dizer aproveitem os minutos nas assembleias.
Juntos somos mais e melhores. Se não querem ajudar a construir, pelo menos não destruam!!»
Jogadores – sejam eles de futebol, futsal, andebol, basket ou matraquilhos – que defendam assim uma paixão, serão sempre, para os apaixonados do clube, tal como eu, jogadores que nos merecem todo o respeito. 
Não se trata de concordar com João Benedito – até porque muito do que foi dito no programa, apesar de triste de encarar, não deixa de ser a dura realidade – trata-se acima de tudo de um gosto pessoal por quem defende as nossas cores; alguém que afia as garras e mostra a raça de um verdadeiro adepto do Sporting Clube Portugal.

É verdade que para o sucesso é preciso união, mas também é verdade que, nos últimos anos, foram senhores supostamente da “casa” que foram afundando o Sporting com contratações e investimentos totalmente catastróficos.
Mas, focando-me no agradecimento, não deixa de ser gratificante saber que no meu clube ainda existem homens, sejam eles adeptos ou atletas, que defendem as nossas cores. Uma defesa sem barreiras nem obstáculos, sem vergonha nem pudor, sem egoismos e com muita ambição. Obrigado, João! Pelas taças e campeonatos, mas, acima de tudo, obrigado pelo teu sportinguismo.