Sporting-Vicente-Capel-Rafael-MarchanteReuters_LANIMA20111024_0118_26

Basta!

por 24 de Setembro de 2012Hoje é dia de Sporting0 Comentários

Antes de mais, porque é que há um comunicado do Sporting a reagir a alguém do Benfica que disse umas banalidades não se sabe bem a que propósito? Resposta: há quem queira apagar números duvidosos com números – também eles duvidosos – de outro clube.  Em que ficamos? Na dúvida de sempre. A única certeza é a de que Sporting e Benfica devem milhões. Agora, se é para reagir em comunicado de cada vez que houver alguém a dizer umas patacoadas durante a inauguração de mais uma zona de conforto, o melhor é preparar comunicados diários.

Passando a outro assunto, muito mais grave, ele há coisas que, por muito que nos custem ouvir, são verdade. Outras há que, mesmo lidas, não passam de aberrações da natureza.
Foi desta forma que o mundo desportivo português decidiu tratar durante os últimos dias o treinador do Sporting Clube de Portugal. Alguém que, mesmo não começando bem a carreira de treinador, merece, no mínimo, o respeito de todos os que se habituaram a ver futebol em Portugal. 
Sá Pinto foi atacado em todas as frentes. Aqui mesmo, n'As redes do Damas, o Sá foi criticado pelo discurso por algumas opções tácticas, mas nunca, em caso algum, a falta de respeito pode reinar e ultrapassar os limites do bom senso. 
As tentativas são muitas, mas o escudo não é eterno. Será que a ideia passa pelo insulto fácil na tentativa de ver repetida a estória Artur Jorge? Sá Pinto é o mesmo, mas a idade é diferente. Não me parece que os ensaios venham a ter sucesso. Os episódios menos bons já lá vão - quem não os teve que atire a primeira pedra - e quem decide relembrá-los assim que algo corre mal  é porque é mesmo um grande calhau.

Arrumados de forma breve dois assuntos que acabaram por me melindrar, passo a outro muito mais grave e, como tenho dito noutros posts, mais urgente. Na antevisão do jogo de hoje, Sá Pinto garante: «Estamos unidos». É isso que esperamos, e é dessa união que se fazem as reviravoltas. Hoje, precisamente hoje, é urgente que haja um grito de revolta do ponto de vista emocional. Mais. Hoje não dá para acreditar que vamos vencer. Hoje tem de ser dia de Sporting e o dia da reconciliação com o Sá. Mas queremos ver a bola a rolar com classe, de pé para pé, não queremos 45 minutos de sofreguidão e charutadas para ninguém. 

Na época passada, por esta altura, e sem fazer grande coisa por isso, o Gil Vicente fez a viagem para Barcelos de saco cheio - espero que o Hugo Vieira se vá lembrando disso de vez em quando - e até o Bojinov marcou dois.

Diego Capel, Sporting 6-1 Gil Vicente, 2011
Não são precisos truques de magia. Só precisamos que, logo de início, entrem os melhores. Para ti, principalmente para ti Sá, o amanhã é já agora. E agora, daqui a nada, a tua "cadeira de sonho" pode ser igual à de muitos, uma simples poltrona em frente à televisão.

Entretanto, aqui fica a nossa proposta de hoje: Rui Patrício, Cédric, Xandão, Rojo e Insúa; Rinaudo, Elias e Marat; Pranjic, Carrillo e Ricky. E o Viola vai ter de entrar.

Vemo-nos lá. Vamos, Sporting!